quinta-feira, 30 de março de 2017

Energia sem corpo

Eu estou sempre procurando me manter
na estrada, pois sair dela me da medo.
Estava a pensar nos ateus!
Quanta lamuria ha por trás dos que não acreditam em nada.
E vivem a vagar a esmo como quem morre amanhã, e se acha sem destino.
Pouco sobra do nada dentro do nada, quando de nada tiramos algo.
Parece loucura, mas, é nada, quem pensa que é.
Dizer que sou uma energia, de que energia falo, se a energia não
tem corpo, se toco a matéria, sinto-á, sem matéria não há nada a se tocar.
Ontem eu observava uma árvore, sim! uma simples árvore no
meio de tantas.
Eu tentei observar sua energia, aquela que a faz crescer um
milimetro por dia.
E não vi, mas, ela estava ali, em corpo e alma, pois a sua alma,
embora sem sentimento, em ausência de sentido, a faz subir
em busca de luz.
E as células se agrupam, uma a uma, na sua forma, não de uma
estrutura qualquer, mas, na forma de sua espécie!
Folhas e galhos, tudo que a define é ela mesma,
E de onde vem a sua inteligência?
Estou usando a árvore, objeto simples, para salientar
a minha elucidação quanto aos que se veem como nada,
Eu sou nada, quando me revelo morto algum dia, então, se morro,
que me importa a identidade?
Porque preciso ser feliz, porque preciso trabalhar, ou deixar
algo para as gerações futuras: ou me ligar em ter filhos, ou
dar tanta importância aos pais, irmãos, amigos, etc...
Se sou algo que passa, sou como uma nuvem sem água, se acredito
na morte como fim derradeiro, sem proposta, sem meio, sem
esperança, então, não sou.
Pensando assim, me vejo menor que uma pedra, pois a pedra, pelo menos, não
tem consciência do que é, vive parada, estagnada no mesmo lugar, por séculos,
faça chuva ou faça sol, pouco lhe importa. Não sofre, não pulsa, é uma energia morta,
sem nenhum motivo para vencer, ou se dar, sei lá.
Nós, no entanto, estamos em constante mudança, mas, perto de um fim eminente,
consciente de que passamos tão rapidamente, como raios em temporal.
Antigamente, os homens viviam a revelia, sem o conhecimento de Deus. e faziam
de tudo para continuarem vivos, matando e confiscando bens alheios, na ânsia
de fazer valer o tempo.
E morriam, e faziam suas preces ao falecido, mesmo sem ter a quem oferecer.
Tudo bem, pois, não tinham o que temos hoje, eles eram criaturas, assim como
um animal qualquer, lutando só pela sobrevivência.
Ainda hoje, depois de termos mais acessos a educação, a escrita, a doutrina de um Deus, cuja
face não mostra, Mas, nos faz ver a coerência das coisas, nos da um espírito revelador das coisas
ocultas, assim como a energia das árvores, ou de outra matéria qualquer, ainda alguns insistem que
as coisas se fizeram por si só.
Qual homem vivente viu alguma coisa sair do nada?
Tudo em sua forma se forma de alguma coisa pré-existente, nada se forma sozinha, nenhuma
espécie se faz da noite para o dia, tudo é a mesma coisa de antes.
O corpo de um homem é o corpo de um homem, o corpo de um peixe é um corpo
de um peixe, o corpo de uma árvore é o corpo de uma árvore, e assim por diante,
E cada um nasce com seus ideais de ser, adaptados para viverem como tal, diferenciando-se
uns dos outros.
E como negar, então, o corpo espiritual quando um corpo morre?
Onde vai a vida que o fez viver em seu espaço de tempo?
Você foi capaz, é capaz, de identificar o corpo, mas, não a energia que o move.
Como duvidar de Deus em sua essência, que faz coisas tão poderosas, cujo olhos não
tem como dar conta?
Quem ensina as flores a desbrochar na primavera, quem ensina o sol a ser mais intenso no verão, em cada lugar um período diferente. Quem ensina as folhas a caírem no outono, e a reviverem novamente, depois de estarem mortas?
Se não for Deus, então a inteligência se faz no vácuo,
Ateus ou não, todos estamos subordinados a algo muito maior que nós mesmos, em nossas elucidações fracas e prepotentes, que faz do homem um ser irracional como todos os demais. já mortos e fracos...já fracos e mortos!
Herta Fischer  (Hertinha)









O sofrimento nos lapida

Eu estive la no topo
da decepção, quando me lembrei que
podia descer.
Eu me sentia uma coitadinha, sentia pena de mim,
sem coragem para me encarar, sem coragem
para me desfazer daquilo
 que me incomodava.
Se era que havia algo, pois a minha mente fantasiava
fantasmas...
Por ter nascido entre alguns irmãos, eu
me encontrei perdida na solidão, quando o
instante se tornou apenas eu.
Fazia parte mas nada fazia sentido, procurava por amor,
mas, os homens só queriam corpo, e meu
corpo não estava pronto para se dar, não sem sentimento.
Comecei a viver o ostracismo sem perceber,
Foram os livros que me deram algum objetivo para
seguir em frente, Os livros e as palavras neles contido, que
me reiniciavam, que me motivavam,
que me faziam companhia.
Eu passei, então, a fazer parte dos livros, como se todos
os romancistas conhecessem a minha historia, e me colocassem como
protagonista principal.
Me via amada como, talvez, nunca tinha sido, não contava com
o amor fiel dos meus pais, que viviam a distancia.
Eu sempre achei que amor é cuidado, é preocupação, é
presença.
E na agonia de me ver só eu ia me desfazendo como
uma folha de papel jogada no tempo.
Tinha que trabalhar para sobreviver, e muitas vezes, o
tempo que me sobrava era simplesmente desperdiçado em
pensamentos negativos em relação a vida, em relação a minha
pessoa, em relação a tudo e a todos.
Minha tristeza era tão grande, que parecia não mais caber em mim, então,
passei a dormir a maior parte do tempo, como quem foge de algo.
A noite, sonhos ruins me atormentavam, e de dia, a vida me parecia
carregada de incompreensão.
Parecia um autômato andando pelos vales sem cor, sendo sã e parecendo doente.
Ao voltar do trabalho um pequeno quarto me esperava, um quarto frio, sem ninguém
para me receber com alegria.
Cheguei ao ponto de não ver mais saída,
Comecei a procurar por Deus, talvez Deus fosse a tabua,
Comprei uma bíblia e comecei a ler. Mas, não compreendendo bem as palavras,
só me sentia pior. porque os meus pecados se tornavam evidentes.
Quão grande pecado era estar desistindo de mim.
Fiquei a vagar por muitos anos, entre um caminho e outro, cada vez mais perdida,
cada vez mais desolada e triste.
Não sabia orar, via muitas vezes, minha vida se esvaindo dentro daquele pote
que eu mesma me coloquei.
Não sei se foi por causa das lágrimas, não sei se foi por estar tão sensível, que
minha orações chegaram a Deus.
E como o despertar de uma criança no colo de mãe, certo dia eu comecei a mudar.
Conheci um homem, hoje meu marido, que também estava sozinho e perdido. Embora no inicio
nossa relação tenha sido muito difícil, começamos a crescer juntos.
Ele também estava a procura de algo, mais que simplesmente viver, algo que preenchesse o espirito,
porque o corpo estava só.
Então, juntos, começamos a desejar Deus, de uma forma sublime, Deus por inteiro, Deus em nós.
E nos ajudando mutuamente, entendemos que para Deus se manifestar, devemos deixar as preocupações de lado, pois tudo se dará á seu tempo.
E fomos caminhando em cada momento como se fosse único, nos compreendendo, nos motivando em cada conquista.
Toda aquela escuridão dos dias tristes foi se dissipando, e a aurora se abriu em nosso caminho, a luz cada vez mais presente, o amor cada vez mais eficaz.
Já se passaram trinta anos, eu e ele ainda estamos juntos, cada vez mais ampla se torna nossa fé.
E cada vez mais a paz se faz presente.
Quando olho para trás eu vejo que a descida foi necessária, talvez, se a vida tivesse me dado tudo, eu não teria tanta necessidade de crescer.
Deus, hoje, para mim, é o maior incentivo, posso perder tudo, posso viver sem nada, mas, sem Ele, seria impossível viver.
Deus é o amor entre os homens, e a compreensão do incompreendido, é a dor dos vencidos a vencer.
é Cristo em sua forma real. O bem, a suplica, a oração, O começo, o meio, e o fim, sem Ele somos
água contaminada matando e destruindo. Mas, com Ele, água viva a jorrar. Descobri que a solidão que vivi foi necessária, Já era Deus trabalhando em mim....

Herta Fischer  (hertinha)












terça-feira, 28 de março de 2017

Saudade em penumbra


No encanto desta hora, quando a luz vai morrendo atrás dos prédios, da uma sensação de vazio. Não gosto de despedidas. parece-me que a noite me encontrará tão saudosa, e que meus olhos tão ativos, não poderá mais ver a beleza do sol a dar palpites ao céu. Para onde vai toda essa luz? talvez vá para lugares remotos,a fazer outros felizes. Preciso sair ao encontro da noite, que nasce tão solitária e perspicaz, na redoma de um céu cinzento e nu, quando é apenas uma criança a desvendar seus segredos sobre a névoa da incompreensão dos ares, quando a lua ainda dorme em algum lugar e demora para despertar.
Toda a magia se desfaz coberta pela penumbra suprema da noite que tudo apaga, menos a saudade de outrora, quando ainda com meus pais, deitada sobre a relva macia, podia contar as estrelas, sobre um sonho de papel.
saudade.. saudade e saudade!

Herta Fischer (Hertinha)




sábado, 25 de março de 2017

Rabiscos de mim



Ver o tempo passando, e tantos seres
não sabendo a que vieram.
Dá uma tristeza danada observar
o comer e  o dormir sem fim.
Sai de casa, volta para casa, inútil,
tudo futilmente inútil.
Quantas idas e vindas sem sentido,
quantos aparates incertos e deslocados
a se desfazer em algum canto, sem
necessidade alguma de existir.
Precioso para mim, ainda é sentar aqui,
e bater um longo papo com a minha solidão,
quando sou somente aquilo que penso, Um nada
a se revelar.
Tela em branco? Sim!
Ainda sou aquela que nada sabe, que nada
faz para sair deste sistema inútil, que pensa
conquistar, que fala de amor, mas,
que de amor nada sabe,
Apenas alguns rabiscos que sai de mim,
embaçados numa mistura que invento,
gravuras  sem nenhuma lógica e nenhuma definição.
Tento desesperadamente entrar em transe, e me tornar
útil de alguma forma, inventando meios para
ensinar felicidade, quando eu mesma a desconheço.
Felicidade, palavrinha estimada, tão procurada e tão
difícil de ser encontrada.
Estará ela em algum lugar, na atmosfera,
longe da humanidade, escondida nas palavras de Deus?
Porque então, revelastes ternura, se só amargura plantastes?
Talvez seja este mesmo nosso castigo, o de andar
a flutuar no espaço dos sonhos, quanto muito,
ver tudo de longe?
E desejar, desejar e nada ter.
E quando pensamos que o dia nos trará a felicidade
de presente, a noite o toma e nos põe para dormir.
E o que esperamos nunca chega, ou chega, justamente
na hora em que temos de ir embora.
E apaga-se a memoria, lá se vai o desejo, o ensejo,
a felicidade, o que ensinamos e o que aprendemos,
e novamente a noite surge, desta vez muito mais impiedosa,
nos põe novamente na cama, para dormir, quem sabe, até quando?
Herta Fischer  (Hertinha)








quinta-feira, 23 de março de 2017

Sorte de principiante

Estou aqui, neste espaço, segura como ninguém,
Nada perturba a minha mente, nada!
Nem os ventos, nem o tempo, tudo
é cuidado, tudo é proteção.
Apenas se desfaz o que não veio para ficar,
E o eterno do existir, aquele que me chamou
e me iniciou, tem muito mais a me dar,
 Acaso não me espreita, acaso não me desmonta,
posso passar numa rua desconhecida,
algo pode tentar me afetar, mas, na sublinhes
d'Aquele que me fez, me faz, não me separará
do que sou.
A solidez da semente que sou, pode até ficar
inativa por longo tempo, pode até demorar
para despertar, pode
até dar á alguns, a certeza do não mais existir,
mas, tirar de mim, a certeza de estar ali, ah!
nunca e ninguém!
Meu primeiro choro, não me lembro, acho
que foi de fome, ou de medo.
Meu primeiro passo, acho que foi por
mérito, ou desejo, eu não sei!
A primeira palavra sussurrada, acho que foi
por ouvir, ou sentir, quem sabe?
O primeiro amor, acho que foi
por emoção do olhar do outro
sobre mim, um
olhar diferente, desejoso, Talvez!
A primeira decepção, o não me sentir importante,
bonita, atraente, sei lá?
O primeiro sonar de sabedoria, acho que foi por Deus,
quando despertei da duvida, quando resolvi
me calar por dentro, quando não mais
sondei incertezas. observando a.luz.
Quando confiei que sempre fui
forte, mesmo quando me senti fraca, que na escuridão
permanente de ideais que nunca vinham, dos sonhos
irrealizados, desejos reprimidos, ainda assim, a luz
estava por trás de tudo, lá no limiar da superfície embaçada
pelas nevoas da ignorância que me cegava,
Abri então as janelas, e o sol apareceu, me dando a certeza plena
de ter encontrado Deus. E em Deus a minha sorte que vence a morte!
Herta Fischer   (Hertinha)









Somos cegos

"Somos humildes quando percebemos que somos cegos,
limitados na nossa capacidade de perceber as
coisas que estão bem diante de nós .' Mark W. Baker
Isto reflete a palavra do Senhor que nos instrui a
não seguir um guia cego, Ele não fala da cegueira
dos olhos, e sim, da cegueira espiritual, pois, a espiritualidade
não é uma fábula, ou algo incompreensível como
muitos pensam.
Já ouvi alguns dizendo: -Não leio a Bíblia porque não entendo
nada!
O que é que você quer entender,
a historia ou o que se tira dela?
A não compreensão vem pela dificuldade que temos de
abrir os olhos da fé, e como cegos vivemos a tatear no escuro.
Tudo o que Deus nos revelou, a saber, a essência revelada, está
no modo de viver.
Não precisamos criar asas e voar, isto nos seria impossível,
Não precisamos sair as ruas para pregar, quase ninguém ouviria,
porque falaria em vão.
A essência da palavra está na observação dos mandamentos de Deus,
num parecer resumido naquilo que o Senhor Jesus nos ensinou:
-Amara´s ao Senhor teu Deus sobre todas as coisas!
Significando que,: Tudo o que ele nos ensinou
deveria ser considerado, e efetivamente, colocado em prática.
Amar os teus semelhantes assim como eu vos ameis!
Significando que, dará a sua vida em prol de seus semelhantes,
Isto não significa morrer por eles, mas, estar sujeito a morte de seus desejos para
assisti-lo em suas necessidades. sendo de ordem material, ou
de ordem mental
E o que se assemelha a ti, senão os de sua própria espécie?
Tão simples, e ao mesmo tempo tão complexo, porque a nossa ideia
 de família é aquela que geramos, ou na qual fomos gerados,
esquecendo que, vivemos dentro de uma esfera global, a qual, devemos
 respeitar com quem faz parte da mesma família, Não como qualquer família
que cada um faz o que quer, mas, aquela que, cuja única
intenção é o bem estar um do outro.
Isto é o que Deus ensina: - ter o mesmo parecer em todas as coisas. Mas,
quanto ainda estamos longe da palavra?
Mais fácil contar historias do que ensinar a viver!
Herta Fischer  (hertinha)





terça-feira, 21 de março de 2017

Primeiro amor

O amor estava ali, na emoção
do meu embaraço, que
deixou seu
beijo no ar.
Ah, se pudesse voltar
naquele olhar, que
silenciosamente
me amava,  e em
mim despertava
deliciosas sensações.
Tudo estava envolto
de alegria, meu pensar
e meu querer,.
E você, ali, como
se me tocasse com cinzel,
só desenhando-se como
que em papel.
Não tinha o prazer do toque,
mas no prazer sentido,
só mesmo os céus.
Ficou no ar como
pequenina pena que voa, e
meu olhar a te imaginar
sabor.
Herta Fischer (Hertinha)



Inútil ao homem sondar a mente de Deus

Para onde vai o folego do feto que não viu a caridade dos dias? Deus tudo dá, a casca e a poupa! E até aquilo que julgamos não aproveitável, acaso ha outro criador que não seja Ele?

Somos nós que precisamos de Deus, pois somente n'Ele seremos felizes. A oração serve para isso, para nos aproximar de Deus e não Deus de nós. Ele sempre nos espera de braços abertos, como mostra a parábola do Filho Pródigo.

Porque ficar preocupado com o amor do outro?
Isto é o mesmo que desejar possuir o que não lhe pertence!

O verdadeiro amor está disposto ao serviço!
Não é um serviço esporádico, porque "achamos que" temos que fazer por merecer, mas um serviço constante em nosso caminho, por amor Aquele que isto nos demonstrou em atos e em palavra...

Miquéias 7.2,3 “Pereceu da terra o homem piedoso, e não há entre os homens um que seja reto. Todos armam ciladas para sangue; cada um caça a seu irmão com uma rede. As suas mãos fazem diligentemente o mal; o príncipe exige condenação, o juiz aceita suborno, e o grande fala da corrupção da sua alma, e assim todos eles são perturbadores”.

Aquele que ama  se entende... e se deixa levar na brisa leve da aceitação...Não vive em amarguras nem no "eu primeiro", ou no que diz respeito a si mesmo... Mas opera humildemente em tudo que o próprio amor espera....
Herta Fischer (Hertinha)

Saber do esperar

Mas, já teve tantos rios que secaram,
e as lembranças
insistem em revivê-los.
Cada historia que nunca foi contada,
mas quantas proezas estiveram lá,
Quanta luta que nunca chegaram a luz,
esquecidas no âmago do tempo.
Quantos sorrisos foram  apagados
enquanto trilharam seus caminhos
de satisfações, mas, que também
se esqueceram de seguir.
Quantos quartos de prisões
receberam homens em condições
deterioradas, quando marcharam
contra si mesmos.
Ação e reação?
Nem sempre!
Nem todos são subjugados a própria sorte,
nem todos pagam a suas dividas ainda em vida.
Nem tudo que é jogado para cima, cai na cabeça
de alguém,
os acasos é que os fazem.
Não ha preço nem medida no acaso, o acaso
sempre sabe o seu lugar.
Acaso não é justo, nem
faz justiça.
Aqui se faz, aqui se paga, é desconhecimento
de causa, a vida não funciona assim, também
come, aquele que nunca plantou.
O bem que se faz trás bem maior?
Nem sempre!
Porque o bem não esta a venda, o bem
é o prazer que se tem, não a troca do
bem pelo bem.
O onico bem que temos é a esperança.
Não a esperança relativa ao que ainda
vamos ter ou passar, o que nos sucede debaixo
do sol, isto não da para prever nem
para evitar. A cada um é dada a sua porção,
a vida relativa nos ensina que tudo acontece
e tudo passa.
A esperança  ainda esta presa em Deus, E
quando ele nos libertar desse peso ilusório,
ai, sim, saberemos o que esperamos..

Herta Fischer (Hertinha)







Sobre os braços do D.N.A

Sou energia deixada em
tempo passado, o tempo
é a energia que me faz.
A carne não sou eu,
eu sou a energia que me carrega.
Sou uma essência, uma causa,
um elemento pré-destinado a ser
a espécie, não o indivíduo que se vê.
Sou uma parcela de tudo que é,
completo em tudo que se pode
 tocar por algum tempo.
Assim como qualquer espécie que
 nasce para um fim.
A biologia em ação. Quando um
átomo se une a outro átomo
na formação das coisas, assim
 também sou eu.
A diferença está na forma espiritual
de cada ser. Aqueles movidos
de consciência e os inconscientes
que também são movidos para a construção
de algo.
Tudo se dá as mãos na natureza, um
serve o outro em suas necessidades.
O Homem, a razão de tudo na natureza, por
aproximar-se da natureza Divina, criada
para ser o que recompõe, o que manipula,
o que cuida, o que subtrai, este, foi
feito com a finalidade de disseminar
conscientemente. Não como o vento que
leva, não como os pássaros que defecam, não
como as abelhas que o fazem enquanto trabalham,
mas, como alguém capaz  de escolher
seus momentos por prazer. E assim
levar a  semente por onde andar.
O homem, e qualquer outro ser
tem dentro de si a genética, que leva informações
para criar outro corpo que venha a assemelhar-se
consigo mesmo.
Herta Fischer  (Hertinha)





domingo, 19 de março de 2017

É só do que precciso

"Chegastes ao pé do meu ouvido como quem abre a janela e esparrama flores..."
Aprender é ler....quem não lê fica a mercê dos homens que só falam...
O agricultor só tem dois desejos;
uma é que as suas sementes despertem, outra é que sua colheita seja farta
Esse mundo ta tão sofrido por causa de pessoas que tem a boa vontade do tamanho do salário
Certa vez eu fui ao medico para me tratar de problemas de frustrações.
Estava ficando doente por ter compromissos assumidos, sem a minima condição para resolver tudo sozinha.
E o médico me disse: _vou te passar um pozinho mágico, isso vai te ajudar!
Comecei então a tomar os comprimidos.
Depois de algum tempo, eu percebi que estava completamente sem emoções. Nada me afetava,
nem sofrimento, nem alegria, mais parecia um zumbi, andando pela casa, sem expressão alguma no rosto.
Parei para pensar: De que me vale a vida sem emoções?
E resolvi, então, parar de tomar o dito cujo pozinho mágico.
Que alegria é a vida quando podemos experimentar todas as emoções, sendo de sofrimento, ou alegria, sinal que somos feito de carne, não de metais.
Depois dessa ocorrência, comecei a ver sentido em tudo, me arrumei por dentro, comedi minhas tarefas, e reorganizei minhas emoções. Hoje eu posso dizer com toda certeza..
Só se acertam quem se acerta, compreendendo que nem tudo são flores, mas, que no final até algum sofrimento pode nos aprimorar e nos fortalecer para o momento seguinte.
Porque a vida é feita de momentos e emoções!

"O amor é o maior exercício de fé...O resto é delonga!"
Faça uma experiência, comece a dar comida para os pobres na porta de sua casa, logo você perceberá que até o seu vizinho que não precisa estará a sua porta pra receber comida, e os pobres que realmente precisam não,aparecerá....Os pobres tem muito mais dignidade do que muitos ricos por ai...
Dignidade independe do ter...

Ah! gente, eu estou tão satisfeita com o que eu tenho, e até com o que nunca tive,,, Bom se todos se contentassem com o necessário, pois o extraordinário é desperdiçar...
A verdade pode ser relativa, mas, a honestidade, nunca!
Quando se trata de dinheiro, ninguém se distrai..Tem coisas horrendas tramadas contra a criança que nunca são vistas!
Acorde povo, De que adianta estar montado sobre cédulas e não ter o minimo de dignidade?

Lute para que a justiça seja feita, mas, não queira ser o juiz...

Meus amores, quando precisar da palavra, de estar em comunidade... Leve a igreja junto com você!
A gente aproveita mais quando a gente leva o coração

"O amor não tem olhos, o amor sobrevive de cumplicidade e companheirismo!"
Cristo esteve em vários lufares e situações, porém, ele nunca impôs condições para que os homens se aproximassem, Ele se colocava ao dispôr de quem precisava!
" De nada adianta eu te mostrar o céu, quando vivo no inferno!"
Você pode até contentar-se com o que você é, mas, se puder, salgue-se na medida certa, ceritique-se de colocar algum tempero, e então, você se tornará irresistível...

Herta Fischer (Hertinha)

sábado, 18 de março de 2017

Sonar do passar

Lá vamos nós, na embarcação
do tempo, velas içadas, vento sul.
A margem, ondas que vão e vem, assoviando
nuvens e ouvindo o sonar do passar.
Tempo que não me espera,, que vai sem recomeço,
sem começo, cortados
apenas pelo símbolo dia e noite.
Que é o tempo, senão o tempo
que velejo entre a baixa e a alta da maré?
Que é o tempo senão suas lembranças em
tempestuosa sinfonia com as minhas?
Entre miríades ha desventuras enlaçadas com
a fortuna que  se vai entre o espaço
de um sonho e outro.
No cabo de dias e noites quando me
acabo e me inicio todas as manhãs
como se a tarde e a noite fosse outro tempo
que não é.
Limites impõe ao homem para seu próprio
bem, assim põe-se a culpa no tempo
que passou, sem perceber que quem passa, somos nós..
Herta Fischer (Hertinha)








quinta-feira, 16 de março de 2017

Homens ativos

Com toda certeza é mais fácil se trancar num convento a rezar, do que fazer algo para mudar, ou morrer até por uma causa boa, porquê não?
Quando precisa comer o que faz para ter comida no prato, reza?
Cristo não ficou orando fechado em um templo, a sua oração vinha de seus feitos, de suas palavras, de suas ações, quando precisava pedir, ficava a sós com seu Pai, assim como numa conversa amigável, para depois. novamente voltar a ativa,. O que ele buscava com o Pai era a força de que precisava para cumprir o seu papel,,,
Herta Fischer

Tudo rege na espera

Soneto de quem espera.

Espera-me nas esquinas meus sonhos
e em passos lentos
te alcanço.
Que de tarde o sol se lamenta, ante
a chegada da partida, assim,
meus dias se entristecem, pois
a cada minuto, um suspiro
morre em preces.
Vou indo, estou chegando,mas
ainda careço de passos, entre um suspiro
e outro, o andar é só cansaço.
Pés calejados, já as solas em
escalpo, ainda anda minha esperança,
entre dor e estardalhaço.
Meus olhos já cansados de ver,
quer descansar em meu dormir,
mas o som que  ainda me chama,
faz barulho no porvir.
Homens maus se levantaram, pra embaraçar
,meu caminhar, mas não souberam
tirar esta certeza, de que posso
dar a volta e em outro sonho estar.
Tudo é questão de escolha, só não posso escolher
esta dor que dói em mim.
Nuvens vieram do nada, e se puseram
 a escurecer o meu céu, mas, eu pensei na chuva,
e o amargo se tornou mel.
Uma coisa puxa outra, assim
é também a vida, uma dor esqucida
pode até virar saudade, mas, ninguém
gosta de lembrar o que não
é felicidade.
Espero, espero e espero,
enquanto vivo não canso de esperar,
até que a morte me alcance
e ainda tenha que esperar
por aquilo que reflete
uvas doces no pomar.
Hertinha (Herta Fischer)



Cantiga de amor.

Já me encontro seca por fora como
uma semente exposta ao sol.
Quem dera estivesse já solta por dentro,
livre desse corpo que me prende.
E, poder, enfim alçar aos céus, em suplica
para novamente renascer.
E, que o vento me levasse em seus
generosos braços até me colocar
em terras férteis.
onde em cânticos minha alma pudesse descansar
desses exageros que eu padeço.
Eclodiria meu ser em renovos, abastecido de esperança
de me tornar algo que a natureza ainda sonha.
Que as chuvas de outono me alcançasse no
âmago da terra, no final da tarde rompendo-me
a luz do sol que se põe em beleza.
E sobre uma cantiga de amor supremo, me despertasse,
me enfeitando de flores.
E me embalasse no tempo até que todos os frutos, já maduros
pudessem então servir.

Herta Fischer (Hertinha)


quarta-feira, 15 de março de 2017

Tudo esta em seu lugar

Ha uma  medida que a todos mede.
Ha um silêncio em cada voz
que se cala, ha tortura
e falta de paz para quem
anda dos avessos.
Falar só tem significado
se levar uma mensagem, de
resto são só vozes que não se escutam,
perfume que não se exalam, e cores
desbotadas.
As letras nos foram entregues, não só
para escrever, não só para ler, mas,
também para meditar.
Cada um traz em si seu registro, e se dá
da forma que fala e sente.
Uma historia de amor se vive na fala de um
trovador, numa canção
de amor, mas se não entrarmos na historia,
são só palavras sem noções.
Ha uma esperança em cada ser, uma esperança
diferente, ha os que querem pouco,
ha os que desejam tudo, e ainda
ha os que não esperam nada.
E talvez, os que não
esperam nada, se satisfazem muito mais,
pois o pouco se torna muito.
A vida se da nas flores, a vida se dá nos ramos,
a vida se da nos homens, só eles
não sabem viver.
Acham que viver é correr para qualquer lado,
atrás do que não satisfaz, e ficam
a morrer de dores, pelo simples fato
de não poder compreender o
quanto a vida é simples.
O morro se satisfaz no vale, o vale esta feliz em seu lugar, só o
homem não satisfaz-se em nada!
Hertinha Fischer







Boas novas

Boas novas
Dai o homem pergunta:
-Como posso fugir dos homens que me oprimem,
De onde virá o socorro?
E a vida tão segura responde:
De onde veio você, sabe me responder?
-Não! - responde o homem:- Talvez do útero de minha mãe?
-Mais ou menos, responde a vida: -
Falas do homem e que homem és tu?
Que nem sabe de onde veio e para onde vais!
-Eu estou indo em direção a morte, diz o homem com um certo rancor na voz.
-Pois é! - fala a vida com desenvoltura: - O mesmo
acontece com o opressor!
Assegure de que sua estrada esteja limpa, pois, nem
todo caminho leva ao mesmo lugar!
O caminho da vida e da morte são paralelas, e muitas vezes nos confunde a razão.
Buscar o que não lhe cabe, sofrer pelos erros dos outros,
falar mal do que não entende, pode facilmente te fazer
pular para o lado errado!
E acaba fazendo de ti um opressor de si mesmo..

Nenhuma corrente é capaz de resistir ao poder libertador do Salvador.

O anjo do Senhor é sentinela ao redor
daqueles que o temem,
e os livra.
Salmos 34:7
Hertinha

Fragmentos de sonhos

Nas paragens dos meus infortúnios,
que de dia cantava lamentos, e a noite
lágrimas soletradas.
Nunca foram meus dias atentos,
olhos tinham de sonhos desfeitos,
só quando se brotava a esperança,
minha alma descansava um pouco.
E de longe eu via a alva, salvação
estava distante, e a brisa sombria tocava,
enquanto o sorriso dormia.
O medo então espreitava como
a onça devagar se arrasta, entre
suspiros que vinham de fora, e a presa
entre garras afiadas, só fiasco
de vida se via.
Tão rápido quanto a propagação do
som, a aurora se fazia presente, entre
um suspiro e outro, já a luz não
fazia sentido.
Entre os arvoredos se escondia a coragem,
e os tiros nela se engaiolavam, as lascas
de sonhos desfeitos, minha boca inteira beijava.
Tudo é vão dizia minha mente, tão vão
quanto meus pensamentos,
que de inteiros só fragmentos,
e de vida, só os doces momentos!
Hertinha Herta Fischer

terça-feira, 14 de março de 2017

Aparência de morte

Eu os vejo a dormir, embalados pela dona esperança.
Se cumpriram teus anos e a dor já não os afeta.
por isto, me alegro no Senhor, cujo descanso dá aqueles que não
podem mais carregar a vida no corpo.
A matéria se desgasta, o próprio tempo á destrói,
mas o efeito da energia que os faz em movimento fica
guardada em Deus.
Em Deus está a vida por meio do sacrifício sacerdotal eterno
do cordeiro.
Em algum momento, pela esperança de muitos e pelo amor
que nos regenera, se nos abrirão as portas do tumulo, e
a carne esquecida e desintegrada se renovará e renascerá
para a eternidade.
Primeiro a morte, depois a vida, primeiro a luta, depois a vitoria.
Assim como qualquer lâmina provada no fogo se torna utensílio
de honra, não sem antes ser provada sua eficacia no corte e
 na resistência, provando assim sua capacidade em servir.
Que possamos seguir sem medo, sem tristezas em demasia, na confiança
de que tudo que  passa na Graça de Deus, um dia retorna.
Assim como a chuva em seu lugar, não sabemos em que tempo retorna, mas retorna,
Não conhecemos a morada das nuvens, mas num determinado tempo, elas
estão lá. E o vento que se esconde em lugares remotos, deles não se tem noticias,
e aparecem sem serem notados, não sabendo de onde vem.
E as sementes secas, aparentemente mortas, que ao ser lançadas á terra, Morrem
e retornam em sua essência Divina, com o mesmo corpo e alma.
Tudo isso é uma representação de Deus ao seres humanos, pela capacidade que nós temos
de compreender mais a fundo a solicitude da vida contida na mais sublime promessa!
Hertinha





domingo, 12 de março de 2017

A vida como ela é

O semeador que fica a remoer suas sementes mortas, não colherá a não ser suas lágrimas..
" As espigas de milho são só milhos a colher-se nas roças, mas quando colhido e aproveitado ele se transforma em pato, em cavalo, em frangos, em ovos, em porcos, em gansos, em homens... Enfim, o doar-se multiplica-se em significado..."
Eu tenho pena daqueles que se consolam nos poucos anos em que vivem.. Eu estou esperando pela seara, por enquanto só planto....
A boa árvore não faz conta de seus frutos, eles caem, e outra estação é o SEU benefício...
Você nasce e morre sozinho,,,Tudo é uma questão de você e você mesmo... E DEUS!
"Foi por não gostar dos meus exageros que aprendi a me controlar..."
"Mostre-se por dentro, que É Deus quem procura por você, deixe de ser objeto, para ser alguém..."
"Os mais velhos murcharam e os mais novos se perderam por falta de seiva!"
Eu nem tenho luz própria, sou como a lua....
O senhor é que me reveste de luz por ser o meu sol...
Temos por costume "se doer" por tudo, Já não basta a dor da idade, quando nascemos e vivemos a morrer? Descanse no Senhor que a sua luta te parecerá tão nobre!
Hertinha (Herta Fischer)

sexta-feira, 10 de março de 2017

Frases

"Bela mesma é a flor que chora doce, por amar seu beija flor!"
Que tudo acabe em poesia e que os fossos se abram em luz...
O sol se levanta todos os dias, embora nenhum olho consiga olhá-lo de frente!!!


Que será o sonho, senão realizar?
Acordar toda manhã com o sonho na palma das mãos. pois, deixar o sonho na cama é o mesmo que deixá-lo á morrer pela manhã....


Mantenho as comportas abertas, detesto reter.
Nenhum professor retém para si
o saber, porque o saber, só, não vale nada.
O saber só se expande quando não temos
medo de doar. Nem vendemos sonhos, nem
sonhamos por ninguém...


Se quiser ser rainha, procure por um rei

Eu queria ser a poesia que falta em sua vida..
Mas, se não gosta de poesia,
então. que posso fazer, senão chorar em papel...
Hertinha

Ir e ir, o tempo não da tréguas.

Sai de madrugada a rastejar meus pés na relva
molhada, pelas manhãs de meu existir.
sem nada que me definisse, a não ser
o meu andar.
Mergulhada em meus desejos, pronta para
entrar na história, fui indo e vindo
quase sem memoria, até descobrir as dores.
As dores que de amores saem, para um lado
e para o outro caminham, sem deixar
lugar vazio.
Ah! se tudo fosse luz, que seria do descanso
que precisa emergir?
Ah! se tudo fosse treva, que seria dos
olhos que desejam ver?
Me regozijei em tudo o que me alcançou
e não conseguiu me passar, aprendi
a ser rápida, justamente para isto.
Ir e ir, sempre ir.
Não importa como, se em dores ou em sorrisos,
a vida não dá tréguas para nada.
Acontece em todas as horas, num infinito criativo,
além do querer ou do poder.
Eu teria parado naquele instante, se eu pudesse,
no instante do primeiro amor, Ah! mas, ele se foi
nem sei para onde.
E o meu coração se curou nos braços do tempo,
com uma paixão sem igual me forçou a ir
em frente...
Ir e ir.....
A descobrir
Hertinha






Rasgando sonhos

Estou aqui a rasgar meus sonhos
que sonhado sonhou
ficar.
E sonhando a ida ao longe
já saiu do seu lugar.
Sonho então um pouco
 mais distante se ainda
me restam alguns,
que de tanto passar ficaram
quase  que sem nenhum.
Vejo ao longe a qualquer
 distância, mescla de um
grande sonho, que já se
desenvolveu em si, que
me alegra e sempre volta
quando ainda estou aqui.
Tentei alcançar as nuvens
sonhando que podia, acordei
banhada pelo
calor do meio dia. sem nuvem, sem
céu, sem cria.
E neste dilema eu vou, nem sonhar
mais eu quero, só pisar este chão
que me acorda quando penso
que sonhar já não é meu esperar.
Hertinha



quarta-feira, 8 de março de 2017

Nós sem nós

Não gosto de falar de mim, nem dos outros, as vezes até comento sobre algum acontecimento e outro, mas não fico remoendo ações
que me entristecem, simplesmente por estar neste mundo nas mesmas condições que todos.
Nascemos sem bagagem alguma, nascemos sem nem mesmo saber qual seria nosso nome, como seria nossos pais, como nós seríamos de verdade. Éramos crus, e fomos desenvolvendo em nós a capacidade de sentir, ou melhor, de se saber sentimento, de se dar conta do sentir. os caminhos que caminhamos não são os mesmos, embora sejam todos feitos da mesma forma. Alguns são de terra, outros de asfalto, outros ainda nem se fizeram, pois não sabemos o dia de amanhã, talvez se abram outras oportunidades que nem conhecemos. Vivemos sujeitos a escuridão, neste caso não é a escuridão do mal, e sim, a escuridão da visão do entendimento, pois nem sabemos ao certo, para onde vamos, só sabemos que viemos de dentro do útero, e depois, será que ficaremos plantados na terra para sempre?
Minha fé diz que não, que um dia o nosso corpo ressurgirá, assim como a semente que brota, e que alçaremos ao céu, pela mão do criador, quando então, aquele sentimento que se aflige em nós, que da margem a tanto sofrimento, se afoba até o ultimo momento, se tornará NÓS!
Nós sem nós!

Herta Fischer (Hertinha)

sexta-feira, 3 de março de 2017

Cheiro de juízo



Se a gente ficar pensando em todos os males que se cometem no mundo tentando fazer-se resolver todos. Ai, sim, precisaríamos de muitas vidas...
Antes do seu nascimento, coisas aconteciam e você nem estava la para se dar conta.. Deixa as águas rolarem, até que se completem os dias de Deus, Então, se você acreditar, a justiça será plena...
Tem coisas que acontecem que tem cheiro de juízo. Em toda a terra se fará lembrar o Nome de Deus, e todo joelho se dobrará por Aquele que Vem.
Hertinha

quarta-feira, 1 de março de 2017

A escolha da vida

Tão bom sentir o cheiro molhado
na noite, quando uma chuva fina
molha o telhado, e num tilintar
das gotas dançantes
 nos enche de nostalgia.
Não de passado, mas de lembranças vividas.,
de sorrisos esquecidos, de amores apagados,
de emoções soterradas no tempo.
A chuva é como despertar em nós
uma vontade de voltar, de se resolver por dentro,
de fazer coisas que não fez, de falar o
que engoliu, de por para fora antigos
sonhos que nunca chegaram a crescer.
Porque será que a gente nunca sabe viver,
vive-se pouco, porque não pode-se viver tudo?
Quantos beijos ficaram na memoria, sem
nunca chegar a boca, quantas palavras não ditas pelo medo
de errar?
E quantas saídas apressadas desejosas para ficar.
Desperdicei-me!
E desperdiçando-me perdi muitas experiências boas, mil
coisas boas.
E agora me vejo diante do espelho, que me olha por fora,
que me mostra o que não quero ver. pois
quando me via, nem me dava conta de que ainda podia!
Nunca é tarde! diz-me alguns.
Sempre é tarde quando não se faz por medo, porque
a manhã não espera por nossa decisão,e  quando
tomamos uma decisão, a tarde já tomou conta e levou
um pouco de nós.
E nunca mais seremos os mesmos, nem que se volte o tempo.
Porque o espaço deixado já foi resolvido, de uma outra forma que não foi
eu.
Então, dar marcha a ré no tempo, só em pensamento
e arrependimento.
Ou se acolher em outra historia e dizer: Não foi bem minha escolha,
mas, a vida escolheu por mim.
E viver o que nos cabe. E fazer
o que se sabe, sabe-se lá, como?
Herta Fischer (hertinha)






Compreendendo Deus

Quando andava cambaleante pelos caminhos
da ignorância, sempre escutava os sons
que vinham de fora, incendiando
a minha alma já sedenta de tudo.
E me falavam de Deus, E eu não conseguia
absorver nada que eu não pudesse tocar.
Estando num jardim, observando as flores
que se abriam na primavera, e no outono
já não estavam mais lá., eu pensava
para onde iriam.
Onde estavam, para onde foram?
Até que conheci a morte de perto, e me arrependi
do que não entendia.
Meu avô se foi, e meu pai nos levou
até ele, e eu, tão inocente em meu viver, o
vi, ali inerte, com mescla em seu olhar azul.
Assim como as flores o outono esteve ali, e o
levou, mas, deixou o corpo vazio, assim, como
o caule sem cor.
Levaram-no sobre a carroceria de um caminhão,
em uma caixa fechada, sem nada por dentro, só o lamentar
invisível  de sua dor.
Eu o via e não enxergava, imaginava o sorriso perdido,
o sonho desfeito, a luta apagada e sem nexo.
Quando pararam e a caixa baixaram, não consegui
entender para onde o levavam, até chegar em uma terra
árida, sobre a terra fria, e o plantaram ali.
Foi então que pensei: vai brotar algum dia, e o azul
singelo de seu olhar desabrochará em certa manhã,
E o perfume que o acompanhou por tantos anos, e a bondade
que era a sua marca. Deus o achará.
Deus! veio em minha mente, aquele Deus tão falado
e desconhecido, na orla do meu querer,
Como a flor se despede em cada tempo, e sobre
o sereno descansa, É Deus levando e trazendo,
Deus em sua ordem natural. Então Deus sempre estivera ali.
Assim como meu avô, que nunca seria esquecido, Deus o acompanhava
em todas as estações, quando despertou e quando virou semente
e foi plantado de novo na terra, que algum dia seria trazido de volta
na próxima estação de um sonho qualquer de menina.
Tudo ficou claro, ou quase. Alguma esperança despertou aqui dentro,
Já não me sentia tão distante da verdade. Deus é a essência que acompanha
os mortais, o crer é tão necessário, quanto viver.
Não pode a vida ser só isso, eu pensava:
um eterno despertar e dormir e morrer.
Assim como o ar se enche de perfume na primavera, e depois se vai, deixando
no ar um cheiro de pó, quando as folham caem no outono  se preparando
para novas folhas que chegam, não sei bem de onde vem, sei que, apenas brotam,
e se enchem de cores novamente, e o galho, aparentemente morto, volta a vida, assim Deus
também fará com o homem.
Deus é a vida. Deus é a própria vida que se faz.

Herta Fischer  (Hertinha)





Total de visualizações de página