segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Desejo de possuir

Cada um defende a sua mentira, fazendo com que pareça verdade.
Dai aquele ditado: A verdade de cada um.
O mundo pode ser ilusão, mas, a verdade é uma só,
está firmada em lei, a lei do bem.
Dentro de um conceito carnal, o que vale
é o bem estar do corpo, o desejo satisfeito, no entanto,
mesmo no mundo, um homem conserva em si, sentimentos.
E onde entra o sentimento, o desejo e a satisfação só não basta.
Diferentemente dos animais que vivem para procriar e defender
a sua espécie, e seus genes, o homem defende a sua posse.
Então, não adianta ao homem, querer viver em liberdade, pois a liberdade não
cabe em ego humano.
Tudo que é livre não tem dono.
E nós vivemos amarrados a algo ou alguém, sendo-nos impossível
estar libertos de todo!
Até mesmo ao que se refere á filhos, nunca nos libertamos do fato de ser
mãe e pai, nem mesmo quando nossos filhos crescem,
ainda queremos participar de suas vidas, isto tudo, por termos sentimentos.
A ganância do homem não tem limites, mesmo que todos morram, a nossa intenção
é viver para sempre.
Não suportamos a dor direcionada para nós. Ao que se refere a outros, pouco nos importa.
Mesmo que, muitas vezes, nos entristeçamos com a dor alheia, mesmo assim, ficamos
a buscar palavras de consolo a esse alguém, porém, quando somos nós a sofrer, não
ha nada que nos console.
Pedimos a Deus que nos livre do mal, que a nossa família nunca seja afetada por situações
difíceis, e nos esquecemos de também pedir pelos outros.
Porque tudo que é relacionado a nós, faz diferença. Se nos derem um tapa, o revide
nos faz sentir melhor  para que  não demonstremos fraqueza.
Por isso, nos cercamos de muros, por dentro e por fora.
E a insatisfação torna-se companheira constante, simplesmente, por acharmos mais valor
em nós, do que nos outros.
Queremos o trono, e mesmo que nunca o alcancemos, mesmo assim, usamos coroa.
Essa é a gloria do homem: viver como se nunca fosse morrer.
E mesmo morrendo, ainda acredita que continuará interferindo, ausentado apenas do corpo, pelo
desejo de posse... Agarrado demais ao transitório.
Herta Fischer












sábado, 29 de outubro de 2016

Tenho asas em meus pés

Que bom que me vejas como aurora, mesmo que eu seja uma tarde triste...Assim a tua aurora brota em qualquer estação....
Sou um livro aberto: as vezes, quero arrancar meu coração pela boca, noutras. tenho vontade de arrancar o coração dos outros...
Aquele amor que me bete a porta, e me faz abri-la.. numa sensação boa de que sou amada.. Quão bem me faz.. mesmo que seja
uma doce ilusão, pois o que é viver?
Se me dão corda, não me enforco, eu escalo a cachoeira. A velhice não me faz temer, me da força para superar.
O amor te dá asas!

Herta Fischer

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Meu caminho é seguro

Um escritor jamais deveria bater boca com seus leitores, mesmo que estes lhe aflijam com discordância...Temos o livre arbítrio, e Graças a Deus, massa encefálica que ninguém ousa fazer comparações de um para o outro. Mesmo porque o pensamento é livre e a vivência de cada um também.
De minha parte, só escrevo porque gosto, e de alguma forma, preciso, para escrever, de algum conteúdo, E é claro que vou arrancar este conteúdo das formas que eu acredito, e também da forma que coloco meus pés, sendo que, cada pé é livre para se deslocar para onde quiser, assim como fazemos uso da língua, mas nem todos temos o mesmo paladar, assim também, não temos que concordar em tudo. Ler pode ser um oficio bom, porque acrescenta muito dos ideais de cada um, não significando que precisemos colocar tudo que lemos em pratica.
Tenho um grande apreço por todas as pessoas, e sempre que escrevo algo, eu pondero, pois não posso falar tudo o que penso. pois o que eu penso, de fato, só diz respeito a minha pessoa.
È largo e farto as formas de viver e de sentir, cada cabeça, uma sentença, o que é bom para mim, até poderia se tornar bom para algumas pessoas, porém, eu não me atrevo a dizer, que seria para todos, a não ser que estivéssemos todos em comunhão.
E não estamos por diversos motivos.
Principalmente por não termos as mesmas crenças, cada um acredita mais naquilo que foi plantado em seu meio na mais tenra idade, e ou, por força maior, não quer sair do lugar, por acreditar estar confortável em seu lugar.
Eu leio, tento me inteirar dos fatos, e aproveito as essências. Depois, por mim mesma, faço as reflexões, e assim formo minhas próprias ideias. Porque detesto usar as pegadas alheias, gosto de saber onde piso, sem, no entanto, parecer como muitos, que se encontram perdidos nos conceitos dos outros.
Justificado está aquele que não precisa de argumentos para ser quem é, que, de boa fé, segue como quem sabe bem onde quer chegar. pois, se por acaso, se perder no caminho, e chegar a conclusão de que se enganou, não poderá culpar ninguém pelo seu infortúnio!
Herta Fischer

Luz que reluz

Devemos, sim, cultivar o bem que ainda resiste
em nós, apesar de tudo.
Pensar positivo e querer o bem de outras pessoas e
de si próprio não é ir contra Deus. Muito pelo contrario. É crer
que tudo Ele faz para o bem de quem O ama.
O que não podemos é achar que tudo é certo, pois o
que fazemos contra nós mesmos em forma de vícios, seja de
que forma for, nos encurrala numa dor infinita que
poderia facilmente ser evitada, se fossemos um pouco
menos arrogantes e pretensiosos.


Procura primeiro, encontrar a luz que ha em você,
depois você espalha!



A vida tem cinquenta tons de azul, é
só não misturar as cores, que nunca
se tornara em tom cinza..
Colore tudo com mansidão de sabedoria...


Na apoteose dos sonhos,
me aconselho a amar...
O amor prolonga a vida,
Enche minhas mãos sem querer,
de alegrias, de sol
e de cor..

Herta Fischer

Desnecessário

Pior do que trafico de gente, é traficar almas.
Existe sementes, sementinhas e sementes grandes. Assim
como existe gente, gentinha e gente de valor.
Agir como se todos tivessem culpa do que acontece
no mundo é medíocre e desnecessário.Desnecessário também
as gerras de gênero.
Pouco nos importa quem é quem..Só o criador pode
explicar as diferenças. A nós cabe respeitá-la, mesmo sabendo que nem todos o farão, por questões ideológicas somado ao mau caratismo..
Herta Fischer

Sobre a paz

Já dizia o sábio:
Não adianta orarmos para que a paz aconteça, se antes
não a construirmos
ao nosso redor.
Não coloque sob os ombros de Deus, uma
responsabilidade que é sua!
Se você agir como deve, se for atentamente fiel
a si mesmo e aos outros, sempre será motivo
de aplausos.
Assim diz o Senhor: Se for fiel no pouco, sobre muito te colocarei! Agora, se não conseguir ser fiel nem nas minimas coisas, como conseguirá ser nas grandes?
Herta Fischer

Noites pensantes

Noite pensante
Quando olhos não fecham,
só para abarrotar o silencio
com lamento.
sois musica suave, num
canto desconhecido,
onde a saudade mora
e desperta em noite
de luar, quando lá fora
abre-se a garganta de orgia,
aqui dentro chove com
relâmpagos de sonhar
Com o dia que virá para
aplacar essa doideira de
escuridão e preencherá
nos acordes do sol
a despertar.
Noite, de onde vens?
E onde se acaba?
Perturba-me tanto
sua fala, quando em trovões
me informa que tem vida.
E a tua chuva anda pela
terra a despertar 

tanta ilusão. Enquanto
as flores cochilam e de
ti recebe o despertar
pela manhã com um
caloroso beijo molhado,
Então se vai, e ninguém
te acha mais, até que,
volte quando queres
para encher a terra
com novas chances
de descansar.
Herta Fischer

Plantação da vida

Quando eu era pequena eu me bastava, ficava
horas a sondar as estrelas como se elas pudessem
me indicar o caminho da noite, e quando o céu se iluminava
pela manhã, as estrelas se tornavam uma só
no desejo do sol.
E lá estavam elas a se juntarem numa grande bola a iluminar
tudo.
Então, eu pensava em Deus.
Quão grande é o seu favor para com os homens, quando que, juntou
o sagrado com o mundano para lhes informar a sua generosidade.
Tirou o que estava em cima, para colocá-lo embaixo, para mostrar
aos homens o quanto os amava.
Eu olhava tudo como uma espécie de olhos mágicos, fazia da vida
sonhos realizáveis, acreditando que não estava a mercê de nada. Meu pai
terreno era a figura do Pai celestial, que, em noites de pesadelo socorria-me,
em seus braços.
Que trabalhava sol a sol para não permitir que nada nos faltasse, ensinava-me
a ser generosa para com meus irmãos, e que, o que era dos outros deveria
ficar com os outros.
Podíamos  não nos fartar de bens materiais, mas,  nos fartaríamos
do favor de Deus,
Os anos iam passando, e com ele a aprendizagem, minhas mãos se fortaleciam
com a prática, e também meu coração se fortalecia em aprender amor.
Quantas vezes em pegar uma enxada para revolver a terra, entre uma cantiga
e outra, os pássaros pareciam querer nos ver contentes. enquanto eles cantavam
empoleirados em galhos, nós seguíamos o ritmo da musica da enxada, que no rep-
rep cortante de sua navalha,  dava ânimo ao trabalho árduo sobre o sol escaldante.
Pensando aqui com meus botões: até o sol parecia tão ameno, tão companheiro,
andando entre nuvens quando se fortalecia demais, apenas para não sofrermos
grandes castigos.
Foram bons anos, anos de felicidade e bem estar, onde não entrava nada que
pudesse nos desorientar, apenas a existência. a alegria de estar ali, entre as plantinhas
que cresciam ante olhinhos vaidosos.
E que vaidade!
Tudo acontecia em sua época.
Época de preparar a terra, quando Seu Bonifácio aparelhava seus dois cavalos a puxar seu
arado. E eu os seguia com os olhos, maravilhada com a sua técnica.
Eia! Eia! Dizia ele: -fazia som com a boca como se os tivesse beijando.
E os animais tão tranquilos, iam e vinham,incansavelmente, de lá para cá, de cá para la.
A terra se abria, torrões e mais terrões, um em cima do outro, até ficar tudo uniforme.
Quando a terra já estava pronta e bem vestida, toda arrumada para o dia de festa.
 Então, já era o tempo do plantio.
Logo após chovia, parecia que o tempo já sabia a sua hora.
E nós entravamos em cena, cada um em seu lugar, realizando a tarefa a que cabia.
Os mais velhos com a enxada, abrindo sulcos,  e os mais novos, lançando a semente.
Era tão divertido que nem víamos as horas passarem. ao piscar já era noite!
E a noite acontecia como quem chega para ficar, as plantas adormecem ante
o embalo da lua, descansando em sua casa. cada um em seu prazer, recebendo o
crescimento.
Tudo acontecendo pausadamente; plantação e colheita,
 em estações diferentes, trabalho não faltava.
Ora plantando! ora colhendo! ora, fazendo as duas coisas juntas!
E a vida seguia como num livro aberto a contar suas historias.
Herta Fischer.










Sonhos de poeta

Tenho sonhos
A de ser passageira do trem do poeta, a me
levar com ele neste mundo inexistente,
E a magia do olhar me mostrar
lugares que jamais vi, onde as estrelas
falam, as flores cantam, e as cores encantam
o caminho que as levam, num vai e vem
de trilhos cheios de vida a patentear alegrias
por onde passa. O coração sustentado na graça
da fala, da rima, da escrita, da sofisticação
do imaginário contando suas historias tão ridículas,
porém tão ricas de paixão. E numa estação qualquer
toca seu violão, com
dedos ágeis de vento, e a musica leve e suave
enche o ar e seu vagão, e a passageira do
trem do poeta sente na alma o enlace do poeta
que conquistou seu coração.
E la vamos nós
rumo a mais uma poesia!
Herta Fischer.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Meus pés são de ferro

E sobre a nebulosa e árida
manhã de outubro, ainda
me busco na incerteza.
Não sou ninho, nem passarinho,
e dou de mim, num cantar
constante.

Não sou viagem, sou
viajante,
nas mãos do tempo
sou abundante.
Neste cenário
que vejo a frente
andar sozinha é angustiante.
Levo flores,  perfumes, sorrisos
de comediante.
Não me importo com os
informantes, tenho
algum crédito lá
adiante,
onde me escondo
do arrogante,
de minha historia
sou comandante.
 Herta Fischer  (Hertinha)

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Ilusão do existir

Eu ainda estava lá no meu cantinho,
eu amo meus cantinhos.
Agora sobre a sombra da taquareira,
e ela gemia ao toque do vento.
Eu, por certo, estava fora de mim,
outra coisa de que gosto.
Ficar alheia.
Alheia a correria dos homens, alheia a
maldade humana.
Assim eu vivo melhor.
Quem muito olha, se cansa, quem muito
quer, vive menos.
Não que eu me importe com isso,
quero, ou espero,( porque não adianta
querer), viver o que tenho
para viver. Se pouco tempo,
se muito, não me aborreço.
Nada me tira do prumo, pois
minha intensão não
se mede por fazer.
Porque faço o que  é preciso, não me ligo
na recompensa, nem em quanto
eu posso ganhar, aliás, nem
ganhar, nem perder,
Eu nem ganho e nem perco, apenas
existo em qualquer momento
onde estou.
Meus sonhos são irrisórios,
meu sonho sou eu, e eu me realizo
em mim.
Nasci e hei de morrer,
Só ha um sonho que me abastece.
A certeza que existe um Deus.
E, que, este mesmo Deus é a razão de tudo, Então,
vivo sem razão, pois nada depende de mim,
e sim, da razão que me sustenta enquanto
existir vida em mim.
Como esta taquareira que agora eu vejo,
que faz sombra em mim. assim é Deus me
protegendo.
cada gotinha de seiva, cada chuvinha que cai,
cada vento que  sopra. Tudo é como
precisa, tudo é como se espera,
Também sou assim, subsisto neste
sistema, não acho nada ruim, Se sou,
eu sou, se não sou, não sou.
Mas, acredito que sou, porque sinto.
vejo a vida em mim quando penso,
quando tudo fica a mostra, quando vejo e
sinto a pequenez que sou diante do
que esta diante dos meus olhos e do que é invisível.
Tenho a lembrança de algo que me toca,
no amor que penso sentir, na ilusão de todo existir,
 Herta Fischer  (Hertinha)








Viver tem seu preço

A vida é uma frenética
mesmice.
Um eterno chegar
e sair.
acordar e dormir.
toda vaidade tem um preço.
Tem gente que gosta de cultivar em
si muitos desejos, é para isso
que se trabalha.
Mas, se os desejos não condizem
com o seu orçamento,
é dor de cabeça na certa!
Por isso muitos se matam.
Aprendi desde cedo a me "amarrar"
com uma corda bem forte de
entendimento, para que não corra o risco de
me perder na vaidade estrema.
Pois vaidade que se preza, não
gosta de sossego.
E quem dela gosta, não vive muito.
Herta Fischer  (hertinha)


A inutilidade dos desejos

Para que carregar tanto peso,
se a vida passa num sopro?
Para que querer se apossar
das coisas, sendo que coisas
acabam?
Para que fincar estacas em areia, se tão logo,
a chuva chegue, ela cai por terra?
Para que fazer uso da linguagem
só para falar bobagem, quando
o melhor é preservar,
Pois o que se joga no lixo
para nada servirá,
a não ser para se transformar
em algo que não se vê.
O bom da vida é dançar a musica, mesmo
que o som seja só imaginação.
Andar sem medo, preservar segredos
que só a sua alma sabe.
Raiar todo dia em novidade,
como se agora nascesse, para no entardecer
morrer de saudade,
do que deixou de fazer
por pensar num novo dia,
que nem sabe se verá!
Vaidade, somente o desejo
de sabedoria, nada mais, pois
se fossemos sábios, não
cometeríamos a insensatez do
esperar. Porque esperar significa
certeza, e certeza, quem as tem?
A fé é só um objetivo que nos leva
a vencer as nossas dores, e tentar
de alguma forma seguir em frente,
mesmo sabendo que amanhã, amanhã,
talvez, nem disso mesmo
se lembre!

Herta Fischer  (Hertinha)

Só que não

Eu nem seria se não houvesse nascido,
nem estaria aqui se já
houvesse morrido.
Tanta graça viver, tanto faz morrer.
O que mais me apetece é ser quem sou.
na malandragem
do acreditar,
Na possibilidade
da aprendizagem do amar.
Mesmo que só ame o que satisfaz,
Ainda que vá amansando a fera que
mora dentro, vou a vento, soprando
o que resta de ignorância, contando
com um ponhado de aprendizado.
Fico a brigar com tudo, aceitando e
contrapondo, não sou dona da
verdade.
Mas, vivo do que acredito, vivo
em mim, como quem achou o
seu lugar no nada, e do nada de
cada dia que passa, ainda posso
dizer que tudo
faz sentido.
Só que não!
Herta Fischer (Hertinha)

domingo, 16 de outubro de 2016

Eterno são os amigos do Senhor

Porque tudo que é simples me encanta,
hoje eu sou obrigada a sentar em frente
de uma tela para observar,
Assim, perco o melhor da vida, pois a natureza
está la fora, longe do alcance de quem
se esconde.
Esperança de mudança não ha, pois, os
homens se tornaram pedra e limo.
Pedra, por se endurecerem, e limo, por esconder
seus sentimentos por medo da inveja.
Não quero me tornar uma peça num tabuleiro
encoberto, eu quero ser algo notório, simples,
mas notório.
Uma dama e seu rei, num trono de vida, de
descobertas e enfeites, de cores e amores, de
alegria  de poder se deslocar tanto a perder,
quanto a ganhar, Tudo faz parte.
A amoreira quando desperta para suas flores,
nem percebe sua perda, quando estas se
transformam em fruto, dando mais prazer
ao adocicado que ao perfume.
Ambos se completam em ciclos.
Parecem cair, e ainda estão lá, no invisível,
até que o tempo os faça e desfaça, nunca se entristecem.
Cuidam de apenas serem. E mesmo que, em
algum momento cessem, ainda permanecem no
descuido, pois sabem que brotarão em
sintonia, quando chegar a hora do
despertamento. Alguém passou, alguém aproveitou,
e lançou a sua lembrança sobre a terra, que tão cuidadosa,
os faz renascer, como  alguém que conhece a vida, como
quem sabe que o que é nunca deixará de ser.
louvado seja o criador que conhece a sua lavoura, e
se preocupa com a sua disseminação.
Tudo que pertence a Ele, ele os torna eterno!

Herta Fischer


quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Sempre a querer

Coração viajante,
viaja nas circunstância
que o acolhe,
em ruas geladas
se recolhe,
quando a solidão
alcança.
Mais que amar,
que nada, só desejo e ilusão,
e o resto leva na intenção.
Dói muitas vezes,
e raras vezes se cura,
até perece que gostas
de amargura.
Entrevado em trincheiras,
as escondidas vai de mansinho
até surgir em um nuance
alguém que merece seu
carinho.
Só então despertas, por
ainda acreditar,
em alguma forma
de amar, até a próxima
tentativa,  só
por não achar outra
alternativa.
Herta Fischer



A mercê de duvidas

O céu se escureceu, o
sol resolveu dar uma trégua.
Aqui dentro um enjoo, omo
alguém que comeu e não gostou.
Geralmente eu sou muito alegre, rio
por qualquer motivo, mas, tem dias
que, o que eu queria mesmo,
é sair de cena, mas, sair em definitivo,
Nada de dar um tempo, ou ficar reclusa
por algumass horas, ou alguns dias, pois
tristeza, quando chega, cola.
Não adianta fugir do obvio, ou ficar ciscando
as mesmices, a catar vento.
Sempre fui muito dinâmica, e também gosto
de ver movimento em tudo.
Só que chega uma hora, parece que a coisa para,
não anda.
As horas passam nervosas e apressadas, não da tempo
nem pra ser feliz.
Decidi,então, fugir um pouco da lógica, e buscar
a paz aqui dentro, como sempre fiz, me afastar de
problemas, não ver televisão, nem noticiários,
me recolhendo num cantinho que já conheço.
Dai começo a lembrar passagens de minha vida,
e tudo vem num relance como se ainda estivesse
vivendo aquele momento. Dai, me entristeço mais ainda
por não poder voltar no tempo, quando pessoas tão
importante em minha historia ainda estavam vivas.
Minha mãe sempre foi uma amiga fiel, agora não
posso mais contar com seus conselhos.
E isso me faz muita falta.
A idade adulta não é fácil como muitos pensam, primeiro,
ela chega, como quem não quer nada, mas, acaba levando muito da
gente: Entes queridos, lembranças, sonhos, desejos.
É! pasmem! desejos!
Desejos que outrora fazia sentido, dava frio na barriga, medo, indecisão, mas,
que fazia o viver bem mais interessante.
Embora se queira falar de velhice como algo bom, e por um lado até é.
Mas, também tem um lado cruel:  vem as dores, a falta de sono, o desperdício das horas,
por não mais encontrar  aquele prazer em muitas coisas.
E assim que me sinto, um tanto enfraquecida, olhando para os lados e
não encontrando nada que ainda valha a pena apostar. Tudo me parece
sem sentido, só desgaste, e vaidade!
Fico a andar de um lado para o outro, como uma formiguinha perdida,
ansiando por achar meu formigueiro, e o que vejo são cada vez mais
solidão.
Então me agarro a fé como quem se agarra numa tabua de salvação, em pleno
mar aberto, e vou meio a deriva. Talvez, eu não sei! minha vida inteira tenha sido assim:
um limiar de luzes e trevas, noites e dias só  na intenção,
sem saber de nada como se, de antemão, já soubesse de tudo.
E o que sei?
Herta Fischer








quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Amor criança

Feliz dia aos filhotinhos que nos ensinam que amor não é consciência: não está condicionado ao saber, a escolha, a crença..
O amor é criança em sua essência. não conhece medida, nem conceito, não fica presa a palavra, se entrega ao saber Divino como
quem não duvida nem dos homens, nem de Deus!
Herta Fischer

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Repeteco

Tem certos dias que o melhor
é ficar calada.
 Uma forma de manifestação contra
eu mesma, estou meio
dolorida por dentro,
como uma nuvem sem água.
Sei lá!
As vezes me dou conta que estou no mundo,
e me chateia o fato dele não ser assim
tão atrativo.
É muita correria para chegar
na mesma estação, onde o
trem nem passa.
Um vazio imenso toma conta de tudo e
não se tem para onde ir. como
se a felicidade se escondesse em algum
lugar que desconheço. Fica difícil achá-la
e dela tomar posse.
Digo, pois, que não sou triste, nem alegre
em demasia em nenhuma situação, mas, que, as vezes,
nem sei bem como me sinto, é um sentimento estranho,
um desalento sem causa.
Assim como quem sabe ser preciso seguir, mas, que, em
qualquer lugar que posso estar não vai
 me trazer nenhuma satisfação.
Não sei se me entenderá.. Amo a vida, amo
tudo ao meu redor, só não gosto
dessa coisa de obrigação.. tem dias que
seria melhor se recolher em algum
canto, na solidão. mas, até a solidão deixa a desejar.
Acho que é saudade, Mas, saudade de quê?
De tudo, talvez!
Ou de nada, ou nem é saudade, apenas cansaço.
Não é cansaço da vida, mas, o de viver o eterno
repeteco de todos os dias.
Herta Fischer

sábado, 8 de outubro de 2016

Enfado

Parece que todos sabem para onde ir, só eu fico
a me perder entre as paredes do meu quarto,
Não acho mais prazer nem na noite nem no dia, muito
menos em jogar conversa fora, roendo
as unhas para não me afogar em comidas e
bebidas,
O que os homens esperam?
Que os olhos não se cansem, que o estômago
se alegre com mais um pouco, que o desmando camarada
possa trazer satisfação.
Não, quero mais que isso. Só sossego já não me basta,
mas, sossego eu ainda quero, Não ha cidade que me alegre,
nem esquinas que me surpreenda, aqui tudo é tão vazio e triste,
Me leve onde mora o silencio e me ensine a calar-me, pois, ai sim, mora a sabedoria.
Herta Fischer

Como queres


Como queres que te gostes,
se para mim, não tem olhar,
nem
sorriso a me ofertar.
Só descaso em rota fuga,
delineando meu sonhar.
Como queres que te gostes,
sem presença só pesar,
De saudade aqui se morre,
e solidão a espreitar.
Como queres que te gostes,
na incerteza do amar,
quando então, tu foges
e aqui
não quer ficar.
Herta Fischer

Jó defende a sua integridade

Eis que tudo isso viram meus olhos, e os
meus ouvidos o ouviram e entenderam.
Como vós o sabeis, também eu sei, não
vos sou inferior.
Mas falarei ao Todo Poderoso
e quero defender-me perante Deus.
Vós, porém, besuntais a verdade
com mentiras e vós todos sois médicos
que não valem nada.
Tomara vos calásseis de todo,
que isso seria a vossa sabedoria!
Ouvi agora a minha defesa
e atentais para os argumentos
dos meus lábios.
Porventura, falareis perversidade
em favor de Deus
e a seu favor falareis mentiras?
Sereis parciais por ele?
Contendereis a favor de Deus?
Ser-vos-ia bom, se ele vos esquadrinhasse?
Ou zombareis dele, como se zomba de um homem qualquer?
Acerbamente vos repreenderá,
se em oculto fordes parciais.
Por ventura, não vos amedrontará a sua
dignidade,
e não cairá sobre vós o seu terror?
As vossas máximas são como provérbios de cinza,
os vossos baluartes, baluartes de barro.
Calai-vos perante mim, e falarei eu,
e venha sobre mim o que vier.
Tomarei a minha carne nos meus dentes
e porei a vida na minha mão.
Eis que me matará, já não tenho esperança;
contudo, defenderei o meu procedimento.
Também isto será a minha salvação,
o  fato de o ímpio não vir perante ele.
Atentai para as minhas razões
e dai ouvido a minha exposição.
Tenho já bem encaminhada a minha causa
e estou certo de que serei justificado.
Quem ha que possa contender comigo?
Neste caso eu me calaria e renderia o espírito.
Concede-me apenas duas coisas; então, me não esconderei
do teu rosto; 
alivia a tua mão de sobre mim,
 e não me espante o
teu terror,
Interpela-me, e te responderei, ou deixa-me
falar e me responderás.
Quantas culpas e pedados tenho eu?
Notifica-me a minha transgressão e o
meu pecado.
Porque escondes o rosto
e me tens por seu inimigo?
Queres aterrorizar uma folha arrebatada pelo vento?
E perseguirás a palha seca?
Pois decreta-se contra mim coisas amargas
e me atribuis as culpas da minha mocidade.
Também põe os meus pés no tronco
observas todos os meus caminhos
e traça limites as plantas dos meus pés,
Apesar de eu ser como uma coisa podre
que se consome
e como roupa que é comida de traça.

Jó 13 - 14

Herta Fischer

Tempo de recomeçar

Eu já não tenho tempo
para crendices;
 para colocar
a vassoura atrás da porta
para espantar visitas chatas.
Colocar folhas trás da orelha para
espantar mau-olhado, nem usar
a cor rosa para dizer que vou
controlar o câncer.
Não tenho mais tempo para firulas, nem
para falacias.
Nem tão pouco pra ver madame dando festa de aniversário
pra cachorro, chamando-os de filho, enquanto
torce o nariz para eu semelhante.
Como se a flor dissesse a terra, quero nascer
lá ou acolá.
Resta-me tão pouco tempo, quase nada, para perder meu tempo
 com
futilidades, conversas sem conteúdo, visita comilona, que
só aparece quando tem festa.
Já me afastei de muitas coisas, e me sinto tão em paz.
Amigo, agora, só se for para acrescentar, pois, de nome, já tem muito.
Não paro mais nas esquinas nem sento mais nas calçadas,
para evitar conversas vãs, quero viver meus últimos anos
como jardim em flor, que ali, fica tranquila, a esperar nova estação,
não se incomoda com o frio nem com o vento,
só quer dar o seu melhor.
Fazer o meu trabalho como quem não precisa de nada,
e depois então, folgar no silencio, cantando por dentro,
a musica  do esquecimento.
do mundo cão que conheço.
Herta Fischer



.

Jó se defende das acusações de seus amigos

Então, Jó respondeu:
Na verdade, vós sois o povo,
e convosco morrerá a sabedoria.
Também eu tenho entendimento como vós,
e não vos sou inferior, quem não sabe coisas como essas?
Eu sou irrisão para os meus amigos, eu, que invocava a Deus,
e ele me respondia;
o justo e o reto servem de irrisão.
(irrisão
  1. 1.
    ato de rir desdenhosamente; zombaria, escárnio, motejo.)

No pensamento de quem está seguro,,
há desprezo pelo infortúnio, um empurrão para aquele
cujos pés já vacilam.
As tendas dos tiranos gozam paz, e os que provocam a Deus estão seguros;
 tem os punhos por seu deus.
Mas, perguntas agora as alimárias, e cada uma delas te ensinarás;
e as aves do céu, e elas to farão saber.
Ou falas com a terra, e ela te instruirá;
até os peixes do mar te contarão.
Qual entre todos estes não sabe.
Que a mão do senhor fez isto?
Nas sua mão está a alma de todo ser vivente
e o espírito de todo o gênero humano.
Porventura, o ouvido não submete a prova as palavras
como o paladar prova as comidas?
Está a sabedoria com os idosos,
e,  na longevidade, o entendimento?
Não! Com Deus está a sabedoria e a força;
ele tem conselho e entendimento.
O que ele deitar abaixo não  se reedificará;
lança na prisão, e ninguém a pode abrir.
Se retém as águas elas secam;
se a larga, devastam a terra.
Com ele esta a força e a sabedoria;
seu é o que erra e o que faz errar.
Aos conselheiros, leva-os despojados do seu cargo
e aos juízes faz desvairar.
Dissolve a autoridade dos reis, 
e uma corda lhes cinge os lombos.
Aos sacerdotes, leva-os despojados do seu cargo
e aos poderosos transtorna.
Aos eloquentes ele tira a palavra
e tira o entendimento aos anciãos.
Lança desprezo sobre os príncipes
e afrouxa os cintos dos fortes.
Das trevas manifesta coisas profundas
e traz a luz a densa escuridade.
Multiplica as nações e as faz perecer;
dispersa-as de novo as congrega.
Tira o entendimento aos príncipes
do povo da terra e os faz
vaguear pelos desertos
sem caminho.
Nas trevas andam ás apalpadelas,
sem terem luz,
e os faz cambalear como ébrios.
Jó  11 - 13


Herta Fischer








A paga, o preço

Circunda-te em ti mesmo,
pois la fora o bicho
te vigia,
Coroa-te de bens, coroa-te
de ternura, porém, nem
isto te livrará da ira
dos homens.
Deixarei o meu olhar triste e
ficarei contente,
assim, todas as minhas dores
se apavoram, pois
também reconheço que
não sou inocente.
Pus-me a olhar de longe
os infortúnios
dos homens, deixei de
lado os meus, pois,
sei que de mim, das coisas
do meu mal, nem faço caso.
não dói em mim a dor alheia,
nem suas desventuras
me atingem,
Estou acima, acima dos demais,
que se levantam
com as mãos espalmadas para
se defenderem, daquilo
que eles mesmo galeiam,
na musica de seus desejos vãos.
Multidão de dores fazem, sem medo
do sofrimento, até sentirem-se
desnudos diante da vergonha
e desalento.
Vou a frente, não gosto de retrocesso,
aprendo e guardo o bem que de ti
aprendo, para que não desfaleça
no dia de sua visitação.
Talvez não me tenha por inocente,
talvez, me dê a paga, e mesmo
assim estarei contente,
por ter se lembrado de mim.
mais vale o castigo do pai,
do que a vergonha em si.


Herta fischer

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Nada sabes

Não vês a hora que eu
chego, nem quando
vou embora, embora, pense
que eu nunca saio
que estou aqui
por todo tempo.
Nem conheces os calos
que já me acompanham
por ter chegado
e saído muito!
Posso estar aqui, ali, e, no
entanto, nunca me vê
passar.
Nem chegar,
Nem partir.
Herta Fischer

Intervalo de um estado

Eu ando por ai, pelos comentários da vida, e ouço
tanto falar em vida, no sentido
dela, no dever do homem, no querer
de todos.
Teve até um comentário sobre quando Cristo disse aos
seus discípulos: - Quem são minha mãe, meus irmãos?
e virando-se para a multidão, estendeu os braços com as mãos
apontadas para eles: Aqui estão, são todos os que fazem a vontade de
Deus!
Então, alguém comentou: - cristo não falou isso, porque, ele
jamais desprezaria sua mãe e irmãos!
Somos ainda crianças na compreensão, por ficarmos focados
no visível, entranhados em compreensões humanas.
Por acaso, mãe e irmãos são mãe e irmãos para sempre,
ou somente. até que alguém morra?
Mãe só pode ser mãe enquanto vive. Depois que morre fica
só a figura, já não faz parte como mãe, e nem pode mais
sentir como mãe.
Assim, também, irmãos, irmãs, pai, etc..
Tudo aqui é transitório. Transitório: adjetivo
  1. 1.
    que só dura certo tempo; que é breve; passageiro, transitivo.
    "situação t."
  2. 2.
    que dura no intervalo de um estado de coisas a outro.

  3. E sendo assim, nós  só somos por um breve momento, e o que
  4. haveremos de ser ainda não sabemos.
  5. Cristo olhava de uma forma diferente, não que não gostasse
  6. de sua mãe e dos seus irmãos, mas, que, sabia que sua mãe e irmãos não
  7. o eram de sangue, mas que o eram em espírito. porque faziam a vontade de Deus,
  8. portanto não poderia estar em maior destaque que os outros, pois tinham
  9. todos a mesma fé.
  10. Os laços de sangue não duram para sempre, é cortado na despedida do corpo,
  11. quando só fica a lembrança do que foi e não mais é.
  12. Porém,o que foi ligado na terra, também estará ligado no céu, se esta for uma ligação
  13. espiritual.
  14. Assim também disse o Senhor Jesus ao profeta: - Tudo o que ligardes na
  15. terra estará ligado no céu, assim, também, o que desligardes na terra, sera desligado do céu.
  16. Dando a parecer que: o espiritualmente ligado continuará ligado para sempre.
  17. Por sermos espírito e carne não ficamos ligados permanentemente com o corpo, Assim, com
  18. o tempo, o corpo envelhece, e envelhecendo já não mais lhe caberá o espírito.porque um  faz parte
  19. na terra, e o outro faz parte do céu. O que pertence a terra, volta ao pó a que lhe pertence, da mesma forma,  o que é 
  20. feito de espirito, a saber o folego de vida, volta a quem  pertence.
  21. Herta Fischer (Hertinha)



Força do pecado

  É preciso lembrar que: Este sistema é falho, e nós, por mais que tentemos explicar a vida, jamais conseguiremos se não vemos com o olhar espiritual.. Tudo o que vemos e vivemos aqui é uma ilusão, só estamos passando por aqui por causa da divida.. A morte, a primeira morte é pagamento...Não podemos ver Deus como quem vê como nós..Nem como quem compreende carnalmente... ha enganos quanto a isto, deixando-nos confusos.. Como pode Deus, que é misericórdia permitir isto ou aquilo?
Tanto pode, se Ele vê a vida de uma forma diferente,,,Se Ele pode devolver a vida a qualquer um que confiar.. Porque para Ele a morte nada é.
Quando este corpo corruptível estiver revestido da incorruptibilidade, e quando este corpo mortal estiver revestido da imortalidade, então se cumprirá a palavra da Escritura:
55 A morte foi tragada pela vitória {Is 25,8}. Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão {Os 13,14}?
56 Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
57 Graças, porém, sejam dadas a Deus, que nos dá a vitória por nosso Senhor Jesus Cristo!
58 Por conseqüência, meus amados irmãos, sede firmes e inabaláveis, aplicando-vos cada vez mais à obra do Senhor. Sabeis que o vosso trabalho no Senhor não é em vão.
1 Coríntios 16
Herta Fischer ( Hertinha)

Luz que reluz

 Posso não ter a vida que pedi a Deus, mas, tenho o Deus que eu pedi na vida..
"Quando não der mais para seguir,
dou meia volta. Quem patina é carro.
Sou mais que uma lenda, sou uma energia
vibrante que se torna algo
na retina dos olhos de alguém.
Hertinha

Herta Fischer

Seiva Divina

Minhas mãos ainda tropeçam, como mãozinha de criança a
pegar no lápis pela primeira vez.
As vezes, preciso de outra para me auxiliar.
Desculpem-me a incapacidade de ser como quer.
Se não sei, ensina-me!
O maior milagre já está acontecendo..É você passando como
uma brisa buscando a
madrugada do Senhor.
Porque os olhos da alma são puros. Os olhos
do corpo tem o costume de condenar o óbvio,
pelos desejos insanos de ocupar o lugar de destaque, mesmo sabendo
que é pó...que não passa de um ser rastejante a procura
do estagio onde se fazem suas asas, para ir de encontro a
sua verdadeira essência que ainda não se construiu.


Hertinha

De "O profeta!"

Bom dia!
A dor é a ruptura da aparência que lhes enclausura a
compreensão.
Assim como o caroço da fruta deve romper-se para que possa expor o interior ao sol, vocês também precisam conhecer a dor.
Se pudessem manter o coração maravilhado diante dos milagres diários de sua vida. s dor não pareceria menos prodigiosa que a alegria que vocês sentem.
E aceitariam as estações do coração, assim como sempre aceitam as que passam pelos campos.
E observariam com serenidade a passagem dos invernos de dor que os aflige.
São vocês que escolhem grande parte dessa dor.
Trata-se da poção amarga por meio do qual o médico existente em vocês mesmos lhes cura a alma doente.
Por isso, confie no médico e tomem o remédio em silêncio e em tranquilidade;
Pois a mão dele, embora pesada e dura, é guiada pela delicada mão do invisível.
E o recipiente com o medicamento por ele trazido, embora lhes arda os lábios, foi moldado no barro que o Oleiro umedeceu com Suas sagradas lágrimas.
Khalil Gibran Do livro O profeta.

Questão de gosto

Somos todos iguais, só nos diferenciamos pelo gosto de cada um.
Ha quem goste e sente-se bem na luz. Ha quem goste e sente-se bem nas trevas,, Quem gosta de luz procura o lugar mais alto. Quem gosta de escuridão, procura os abismos!
Herta Fischer
Curtir

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Saudade de colo

Minha mãe não mais me ouve,
quisera eu ainda seu colo,
como da primeira vez
que me cativou.
Elevado sobre a luz de seus olhos
minha luz brilhou
na candeia de seu afago,
como quem nasceu de vez
para depois morrer
de saudade.
Diz certo proverbio que:
nenhuma voz se ouve depois
da vida, quem dera ainda ouvisse
a sua a me aconselhar ainda.
Sua voz se calou em mim, mas
ainda vive no meu olhar, e
me aconselha no sonar
de qualquer vento
que passa. como
se subsistisse em meu
coração. o carinho
de sua compreensão.
como se a voz do mundo
fosse a descoberta
de que nasce de novo
em qualquer lugar
que eu passe e te
lembre.
Herta Fischer

Total de visualizações de página