terça-feira, 23 de outubro de 2012

Poder em tuas mãos

Não te prives de ti mesmo.. todos os dias são santos,
quando te guarda de todos os perigos,
te abraça na noite que chega,  te encontra pela manhã, e
abriga teu corpo na benção.
Nunca digas, eu não sei!
Vá a busca da verdade,
tudo quando se quer, se aprende,
não te prives de aprender.
Não jogues  pro alto
seus momentos mais bonitos,
a vaidade também cansa,
de tanto se amar, muitos se perdem,
de tanto duvidar, seguem sozinhos.
Nunca digas que não podes,
poder é confiar que se pode,
e seguir o que se quer,
como se fosse milagre.
Nunca digas que te ferem,
pois quem se fere é você
quando deixa se dominar
pelo seu ego em evidência.
Aceite o amor,
sem cobranças e nem queixas,
quando menos esperar,
ele estará do teu lado.
Sorria mais, põe as tristezas de lado,
quem constrói, se regozija com suas próprias mãos,
na alegria de viver.



Autora: Herta Fischer                                          Direitos reservados







sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Sem acordos na discórdia

Nesta vida nada temos por certo.
As vezes um erro pode ser um acerto, e um acerto, pode ser um erro.
Dependendo do ponto de vista, cada um olha como quer,
a moeda tem dois lados.
Se vou para frente, querem me ver de costas, se vou de costas, querem me ver de frente.
E assim eu vou vivendo com meus princípios confusos, pois a confusão é tanta,
nem sei o que querem de mim.
Se olho para um lado, dizem que não é certo, se olho para outro não me aceitam,
se não olho para canto nenhum me chamam de cega.
Se sigo meu rumo, estou em estradas estranhas, se não sigo, estou perdida, se paro eu não sou nada.
Que sociedade medíocre, que só olham o que enxergam, que só enxergam o que querem.
Até mesmo no limite do meu ego, eu paro para ver as coisas do meu jeito, ai mesmo é que me condenam,
dizem que não vi direito.
Eu vou ou eu fico? Decidam!
Quem esta certo, ou quem está errado? me digam!
Até hoje estou tremendo, sem eira e nem beira, entre tantas encruzilhadas,  nem sei por onde eu sigo.
Meu vizinho nem me olha, pois não penso como ele, meu amigo me vira as costas, pois lhe falo com sinceridade.
Meus irmãos estão confusos, cada um vê de um jeito, eu aceito e respeito, mas quem está com razão?
Só me dividindo em pedaços para dar um tiquinho para cada, quem sabe esta ilusão se acabe, e eu veja alguma luz.
Até agora eu não sei, e ficarei sem saber, qual deles está com a verdade,
pois as divergências são tantas, tantos partidarismos, tantas questões sem razão.
Entendam um ao outro, depois me expliquem, ai, talvez eu também possa entender, o  porquê de tanta divisão!

Autora: Herta Fischer                                                       direitos resevados




Imóvel como uma pedra

Como as raízes que se prendem ao chão, eu fiquei presa a você.
Como a terra que sedenta , com a falta de chuva se enfraquece, eu também sequei por dentro, asfixiada  por seu egoísmo.
Tudo o que sonhava ser, nunca alcancei. Pois você não deixou meus pés correrem ao encontro dos sonhos.
Eu sonhei. Você viveu.
Não deixou tempo para mim, roubou-os todos para que vivesse a sua sombra.
Quis ser eu mesma, e só consegui ser seu desejo.
Sonhei em conquistar meu espaço, e todo ele foi ocupado por você.
Como um tirano sem alma, destruiu minha alegria, conquistando tudo que eu era.
Deleitou-se em prazer sobre meu corpo, sugou minha alegria de viver, como se tudo que era meu lhe pertencesse.
E quando me preparava para a liberdade, me prendeu em teus castelos de desejos, sugando todo o néctar de minha pureza.
Desprezou meu desespero e fechou os ouvidos para meus gritos. fazendo com que meus olhos se fechassem para tudo e enxergasse somente você.
As amarras invisíveis de sua insensibilidade me machucaram tanto, e deixaram muitas cicatrizes.
Quando percebi que tudo era dor, quis me libertar, porém já era tarde.A aurora se foi e o entardecer chegou depressa.
E nesta noite, todas as luzes se apagaram, e o que resta, são apenas a escuridão da alma, e o saber que a noite não termina, pois como uma pedra, me tornou imóvel para sempre.

Autora: Herta Fischer                     direitos reservados.



sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Unidade na fé

Vou começar este texto, emprestando as palavras do senhor...."Vinde a mim as criancinhas"
e "não entrará no reino de Deus enquanto não te tornares como uma criança".
Quando o senhor Jesus proferiu esses ensinamentos, ele quis deixar bem claro que os humanos adultos vivessem de uma forma  leve, sem preconceitos, livres de quaisquer impureza de comportamento.
Pois uma criança confia, segue seu caminho despreocupada com o dia de amanhã, sabe que tudo se lhe dará no devido tempo, e nem com a fome elas se preocupam, pois sabem que tudo o que vive, não é para si, mas para Deus que os fez.
Devemos nos preocupar, sim, como adultos, quanto ao nosso alimento diário espiritual, pois sem esse alimento, nos tornamos esfomeados de injustiças...
Toda a fonte de Deus está aberta para todos, mas, quando nos recusamos a beber desta fonte, e seguimos após ela, a beber em outras fontes, sentimos secura na boca, como se estivéssemos bebendo da água salgada que não satisfaz.
Porque a fonte de Jesus é refrigério para a alma sedenta, e outras fontes que não veio por meio dele é fonte de vaidades.
Quando o apóstolo Paulo se referiu ao dar o leite, ao invés de comida solida, porque ainda não estávamos preparado para receber a solidez, ele se referia ao sermos criança na fé, como muitos ainda insistem em não crescer.
Sejam bem vindos a fonte "Escritura Sagrada". Bebam da água da vida," Jesus Cristo", o amor que a todos consola..
Não esperem que homens comuns,  de carne e osso, como todo mundo, sejam seus guias, pois em todo homem há cegueira, Mas em Cristo há luz permanente, luz que leva luz.
Vá a fonte e experimente saciar sua sede da verdade... Pois como está escrito: "estou seguro que já sabes as sagradas letras que te levam sabedoria, e que não mais necessita que outros lhe soprem aos ouvidos as suas insanidades e conversas frívolas.
Pois todo o que foi confirmado na graça, estão esperançosos e sedentos do conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.
E para conhecê-lo é necessário  assemelhar-se a Ele, enxergando os seus irmãos da mesma forma  que vê uma criança.
Fuja das paixões, que além de fazer mal ao corpo, ainda corroí a alma.
Leiam as historias dos tempos antigos, como os homens que se dizem religiosos se comportavam, prove os seus espíritos, e se não ver misericórdia em suas ações, deles se afastem.
Pois Deus é misericórdia, e aqueles que dizem ser de Deus e não agem como Ele, o faz mentiroso.
Toda essa escuridão que nós enxergamos no mundo,: as injustiças, o desamor, a fome, a miséria, o descaminho,  as dores, são provocados, não pela vontade de Deus, mas pelas injustiças de homens que não conhecem as riquezas das misericórdias de Deus, e o insultam contando mentiras e enganos para desviar as pessoas do caminho da verdade.
E aqueles que são enganados acabam se afastando do Deus da verdade, e se juntam aos mentirosos e recebem cada um o galardão que merecem.
O único caminho que nos leva ao Pai... é o Filho, não se enganem, não existe outra ponte...Esta escrito:
Todo aquele que não entra ela porta, é ladrão e salteador, tome cuidado para não fazer aliança com eles. O seu caminho é miséria e sofrimento.
Largo e farto é o caminho da perdição, dá uma falsa impressão de felicidade e prazer, mas é momentâneo e passageiro.
O caminho da verdade em Cristo é estreito, pois exigem sacrifícios! Esta escrito:
O maior precisa ser o menor, este é o que deve servir.
Quando aceitamos a salvação, devemos estar mortos para o mundo, e ressuscitados para o amor.
Enquanto não aceitarmos servir aos irmãos, na verdade estamos longe da fé verdadeira, Pois Deus é amor, e Cristo é esse amor revelado..Devemos então ser a personificação deste amor, pois foi para isto que ainda estamos no mundo, não para disputar quem vence ou quem é melhor, mas para amarmos uns aos outros, assim como Deus nos amou, enviando o seu filho para conhecer as nossas dores e tornar-se sacrifício eterno a fim de nos resgatar do pecado permanente que na carne ainda temos que suportar. Como diz o apostolo Paulo: "Meu espírito luta para fazer o bem, mas a carne tende a fazer o mal que não quero!"
Então, já não depende mais de quem corre, mas de Deus usar de sua misericórdia para com os homens!


Autora: Herta Fischer                         direitos reservados










terça-feira, 2 de outubro de 2012

Que mundo é esse?

Eu sigo o meu caminho com grande esperança, desde pequena eu sonho com dias melhores.
Tive meus momentos de medo, de solidão, sem ter em quem me abrigar.
Fui crescendo entre rosas e espinhos, briguei comigo mesma, entrei em conflito de existência, me escondi, literalmente, embaixo de uma cama, para fugir dos fantasmas.
E percebi, que aquilo que mais queria, estava longe de ser um ideal, a saber, ser gente grande para pensar como gente grande.
Eu não sabia, que as pessoas quando crescem, ficam tão alienadas em seus próprios caprichos, se enfiam dentro delas mesmas, pouco se importando com as dores alheias.
Esse mundo, é mundo de enganos. Esta vida não é nada se comparada com a promessa de Deus.
Então, enquanto me olho no espelho, e vejo meus motivos se definhando, minha mente se embaralhando, meu sossego desassossegando, eu sinto que meu tempo também vai se definhando.
Eu, quando jovem era dona do meu tempo, nem imaginava que um dia teria fim, que seria como uma ilusão que passa.
E que tudo o que fiz, ou que faço, é tudo em vão, daqui alguns anos, ninguém mais se lembrará, serei como a fumaça no vento, por um pouco e ela se vai.
Enfraqueceu-me as vistas, enfraquecem-se os moedores da boca, enfraquece-se a memória, também vão se as lembranças, restando apenas as marcas do sofrimento na pele.
E quanto mais me aproximo da realidade, mais me distancio do meu querer, pois meu querer não é nada, diante desse tempo que a tudo controla.
Quando criança eu não me preocupava, eu apenas confiava, hoje eu me preocupo, e vivo desconfiando de tudo.
Então, me pergunto: - Que mundo é este? Que não satisfaz!
Por mais que se conquiste, estamos sempre a querer mais!
Não basta o termos saúde, não basta o termos amor, queremos o mundo, mas o mundo não nos quer.
Pois reinar aqui, é massacrar os outros, massacrar a nós mesmos, nos desejos que não cessam, no querer que só condena, no possuir sem razão.
Eu compro coisas das quais nem uso, alimentos que nem cabe em meu estômago, ando atras do vento, e nem sei pra onde vou.
Essa ilusão de viver é tanta, que também uso as pessoas só para o meu prazer.
Se alguém esta cansado, eu me ponho de lado, e nem penso em ajudar. Meu pelego é meu assento, minha casa é meu luxo, meu dinheiro é meu poder.
Mas quando eu sair deste mundo, o que me espera?
Vou aproveitar de tudo o que possui, de tudo que só me fez sofrer?
Para onde vou, não levo nada! Então, pra que tanta correria, porque tanta ganancia, pra que tanta cobrança, se vivo com tão pouco?
É só canseira desnecessária, e esperar vitoria sem ter luta, é acordar toda manhã sem saber se vai chegar ao fim do dia.
Então, só me resta voltar a ser criança, e como criança pensar, e como criança agir, até que a noite se faça dia, até que a escuridão se desfaça pela chegada da luz, e eu possa enfim, voltar de onde sai.


Autora: Herta Fischer                               direitos reservados







Total de visualizações de página