terça-feira, 31 de janeiro de 2012

enganando e sendo enganados

O amor é feito de sonhos, mas os sonhos são desfeitos logo que o dia amanhece.
Eu gostaria... Ah! como eu gostaria de falar coisas bonitas, palavras de incentivo, palavras que edificam, mas todos parecem surdos.
Os conselhos que a gente dá para que as pessoas possam se felizes são jogados na lixeira dos sentidos.
E o que não presta, as orgias, os descaminhos tomam toda a atenção, a escravidão acabou, não se açoitam mais as pessoas, mas a escravidão do espirito está a espreita e os açoites em forma de virtudes invertidas.
Que pena! Todo o trabalho se perdeu  nas ondas do tempo, toda pureza dissipou na correria do vento.
Eu não reconheço mais a verdade, anda tropeçando nas praças, se perdeu no coração da humanidade e os valores se prenderam nos prazeres que o mundo ostenta.
A mentira mascarada de verdade, se faz onipotente,e as pessoas se enredam nesta teia.
Só tem valor um ponhado de desejo que logo se desfaz, mas a procura é grande e a vergonha se pôs de largo.
Não posso entender o que mudou, com que propósito inventam tantos laços, laços de passarinheiro prontos pra pegar os que confiantes seguem seus caminhos.
Tantos sofrem os transtornos de que não podem mais viver sem se vender, fizeram de nós lucros..de cada um uma cacaborrada  sem direção.
Do amargo que a vida tem tiraram o doce do mel, enganado o paladar.
Da verdade sugaram o néctar pra transformar tudo em mentira, para que os homens de bem se enroscassem nos enganos.
Tornaram o que é perfeito em dissoluções e medos, e na ânsia de se dar bem, colocaram o homem a passar fome de justiça.
E toda esta sujeira ainda afogará os justos, pois fugirem já não podem,e viver fora delas é impossível.
Estamos expostos, com dinheiro e sem alegrias, famílias se desfazendo na ganância do terror, para que os homens fiquem presos  na arapuca dos ganhos do comércio  fraudulento.
O socorro já não chega a sua casa, as crianças vivem a Deus dará, e os homens vivem de mercados a mercadantes.
Sendo vendidos seus sonhos e comprados nos desejos que por certo jamais se sentirá saciado.
E nessa correria  nas doenças definhando, os seus sonhos só servem para alimentar mais a mentira e os enganos,e a demência daqueles que deveriam te servir te arrastam para uma vida sem razão e sem sentido.
E numa vontade derradeira de caminhar com suas pernas, os tropeços se tornam tantos que já não consegue caminhar.
Então, ao pobre só restam seus sonhos de um dia tornar-se livre!

Autora: Hertinha                                     direitos reservados




Luta sem fim

Cansei de falar, de ouvir, do silêncio, cansei de jogar perolas, de colher amarguras, de ficar olhando o vazio, como se alguém se importasse.
Cansei da dúvida, das descobertas que não tem partilha, cansei dos sonhos e das ilusões de que tudo vai mudar.
Cansei de ensinar, de aprender, de jogar cartas no vazio, cansei da chuva, da águas, do sol, da lua que parecem não ter problemas, enquanto os meus aumentam a cada dia.
Cansei de viver todos os dias, porque tanto faz, todos os dias são iguais.
Cansei de jogar, de perder e de ganhar, de dar o meu melhor e de só receber migalhas.
Cansei de passar fome em meio ao milharal e de sentir sede sentada a beira do rio.
Cansei de mendigar carinho, de me dar e nunca receber, cansei da luta e da canseira que ela me joga nas costas.
Cansei do que é belo, sem olhos para ver, cansei do que é feio, pois ninguém se importa, cansei de reclamar sem conseguir ajuda.
Cansei de ver sujeira em meu planeta, de propostas no vazio, da indiferença, da dor, de não ter em quem me abrigar.
Cansei de viver sem direção, cansei de falsidades, de ninguém para amparar, cansei do medo de ir e vir, do dormir e acordar, enfim, acho que cansei até de mim!

Autora: Hertinha                                             direitos reservados

domingo, 29 de janeiro de 2012

Fingindo ser o que somos

Não quero usar minha fraqueza como justificativa para os erros que cometo, ou que cometi., mas sim, minha condição humana que chega sem rotulo, nem manual de instrução. Apenas com uma vontade enorme de descobrir e sentir novas sensações.
Tantas coisas são proibidas que a gente acaba se perdendo em nossas descobertas, não temos liberdade para escolher, porque tantos querem escolher pela gente.
Por isso é que sempre vamos vivendo meio que tateando no escuro, vagueando pelo desconhecido, desconfiando até de nossa própria sombra.
Não seria mais fácil viver acorrentado em expectativas, do que tentar realizar sonhos impossíveis?
A vida é como uma grande empresa, traçamos metas e morremos por elas, vestindo a camisa que alguém tão sutilmente teceu .
Eu queria ser mais do que sou, eu sei que posso ser melhor. Poder falar das coisas que sinto sem arrependimentos, fazer coisas sem que precise me policiar a todo instante para ver se estou agradando.
Eu sinto em mim um ponto de interrogação, não sou eu,  sou o que a sociedade quer que eu seja.
Sou a sombra da semente que alguém quer plantar, e quando cresço, continuo sendo a sombra daquilo que quero ser.
Fui programada para não ser eu, mas para ser a vontade espelhada na vontade dos programadores de vidas alheias.
Um robô! Pois pessoas deveriam ter liberdades de escolhas, e o que conseguimos é enterrar nossos sonhos na terra da alma.
Não consigo amadurecer, pois a minha descoberta não tem valor algum, a minha vontade está subjugada a condição em que fui criada, dentro das limitações humanas.
Não sei se é correto afirmar a limitação. mas as convenções em que as pessoas delimitaram nossas conquistas, nossa capacidade, nosso querer.
Eu só posso ser o que querem que eu seja!
Ou só fazer minhas escolhas baseada na loucura de que seja o correto, dentro daquilo que me fazem acreditar que seja o certo.
Tenho que estar dentro da lei que insiste em dizer que me protege, quando na realidade estou desnuda diante dela.
Ela me deixa completamente a deriva dentro de mim mesma, atormentada em seguir os estatutos que ela me impõe.
Sem se importar com minha própria identidade. se sou feliz ou não, pouco importa, desde que seja conveniente para a sociedade.
E desta forma a própria sociedade adoece, porque regras e regras deixam qualquer ser fora de si, e sem expectativas nenhuma de vida .Somos autômatos fazendo de conta que tudo está conforme os conformes, aceitando de bom grado nossa própria ineficiência de poder interferir naquilo que já está estipulado de loga data, só para tirar proveito da nossa ingenuidade diante dos fatos. E assim, morremos um pouco a cada dia, desesperançados demais para reclamar e fazer diferente!


Autora: Herta Fischer                                           direitos reservados





terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Sinônimos de amar

É muito importante elogiar as pessoas, valorizar as coisas boas que elas fazem,ao invés de ficar doida para pegar os erros alheios.
Quando a gente procura a gente acha, quando nos interessamos por algo, começamos a vê-las por todo lado.
Fique sempre atento para quem faz o bem, de repente começamos a ver coisas que nunca tínhamos vistos antes.
Receber elogio é uma necessidade humana, essencial para um relacionamento, só que terá que ser um elogio sincero. temos que ter habilidades de sermos verdadeiros com as pessoas, e não sermos inchados de orgulho e fixados em nós mesmos.
O ego pode criar grandes barreiras, pois o fato de achar que é um sabe-tudo pode causar um estrago pra muitas pessoas, porque ninguém sabe tudo ou tem tudo, pois precisamos uns dos outros. Só os orgulhosos  fingem  que não precisam.
O individualismo é mentiroso, cria uma falsa ilusão de que não devemos ser dependente de outras pessoas.
Antes mesmo de nascer, dentro do útero, nós já estamos sendo alimentados por alguém.
Depois do nascimento, precisamos de outras mãos para nos alimentar e ensinar a dar os primeiros passinhos, e assim  a vida segue seu curso, quantas mãos não ficaram calejadas para trabalhar por nosso bem estar.
O respeito é tratar as pessoas como seres importantes, evitando selecionar as pessoas a quem as destina.
Deus não criou homens desalmados, apenas homens com problemas de comportamentos.
Respeitar o tempo é bom, por que é gostoso saber que precisa esperar.
Pessoas honestas cumprem a palavra e seguem os compromissos, por isso é que devemos satisfazer as necessidades dos outros antes mesmo que das nossas.
Satisfazer necessidades não significam  satisfazer vontades. Ser servidor não significa ser escravo.
Perdoar não significa desconhecer as coisas ruins que aconteceram, mas é saber lidar de um modo afirmativo com as situações que aparecem e desapegar de qualquer sombra de ressentimento.
Quem guarda mágoas por muito tempo, torna-se amarga e muito infeliz.
Os sentimentos vem e vão, é o compromisso que nos sustentam.
O verbo amar pode ser definido como ato ou atos de doação aos outros, atendendo suas necessidades legitimas.


Autora: Herta Fischer                                             direitos reservados
.


Quem ama ouve

A capacidade de dar atenção aos outros é a melhor forma de demonstrar amor, e é também uma importante qualidade do caráter.
Todas as pessoas precisam de atenção, e a melhor forma de fazer isso, é ouvi-las.
Nem sempre estamos dispostos a ouvir o que o outro tem a dizer, por isso é que as vezes passamos anos junto de uma pessoa  sem a conhecer.
Precisamos aprender a ouvir, fazer calar toda a conversação interna, e dar enfase na disciplina do próprio ouvir.
Isso exige sacrifício, como todo ato de amor.. já que o amor é altruísta, e o ouvir é um ato de doação de nós mesmos para podermos efetivamente entrar no mundo do outro.
Precisamos estar presentes na vida das pessoas, estar presente não só fisicamente, mas mental e emocionalmente também.
Em nosso dia a dia, tanto em casa como em qualquer outro lugar, devemos tentar ouvir mais do que falar, não nos ensinaram a ouvir, mas esta é uma habilidade que nós humanos precisamos aprender.
Ao ouvir atentamente alguém, esta pessoa sente que realmente estamos dando importância pra ela.
Portanto ouvir é a oportunidade de dar atenção aos outros.
Ouvir e compartilhar ajudam a aliviar sua carga, prestar atenção as pessoas é uma necessidade que não devemos negligenciar, todo mundo gosta de atenção.
Nunca ignore ninguém, uma das principais tarefas do amor é prestar atenção as pessoas.
A bondade consiste em dar atenção, apreciação e incentivo aos outros.
O filósofo William James disse que o centro da personalidade humana está a necessidade de ser apreciado.
Todas as pessoas necessitam que as façam sentir-se importante.
Podemos expressar bondade, uma das qualidades do amor, independentemente de nossos sentimentos, o amor não é como nos sentimos em relação aos outros, mas, como nos comportamos com os outros.
A distancia que você caminha na vida, vai depender da sua ternura com os jovens, da sua compaixão com os idosos, compreensão com aqueles que lutam, da tolerância  com os fracos e os fortes, por que uma vez na vida, ou você foi, ou será um deles.

Autora: Herta Fischer                                          direitos resevados

domingo, 22 de janeiro de 2012

Gente é gente

Tem gente de todo tipo, aqueles arrumadinhos, que não saem de casa sem que estejam impecáveis.        Aqueles que não se importam com a aparência, ou  pensam que não.
Os introvertidos que ficam só curtindo o silêncio. Os extrovertidos que por qualquer motivo, fazem uma festa.
Os deprimidos e deprimentes, ouvem músicas lentas e cheias de nostalgia.
Os alegres, tiram da tristeza, um motivo pra sorrir, e estão sempre cantando.
Os de espírito nobre, que estão sempre dispostos a ajudar, mesmo sem força esbanjam cumplicidade por todos os poros.
Os desdenhados, que nunca levam nada  a sério, ninguém e nem eles mesmos, tudo é motivo de zombaria.
Os mansos de coração, que mesmo em meio a tempestades ainda acham motivo de louvor.
Os de orgulho ferido, que quando perdem alguém, acham que a vida se acabou, e ficam dizendo da boca pra fora que não estão nem ai, mesmo estando com o coração sangrando.
Os desencantados da vida, que vivem se escondendo de si mesmo por medo do sofrimento.
Os felizes, que sempre acham algum motivo pra sorrir.
Os tristes, que mesmo em meio a tanta beleza ainda esperam algum milagre que os tirem desse estado de espírito.
Os destemidos, que confiam sempre e não desanimam diante das adversidades, enfrentam toda afronta e toda dificuldades sem desanimar.
Os amorosos que vivem para fazer outros felizes.
Os invejosos que não pode ver ninguém feliz.
Os inconstantes que nunca sabem que rumo tomar.
Os crédulos que não se importam com seus próprios rumos, pois acreditam que a vida os levará e indicará qual o caminho que devem seguir.
Os incrédulos que não acreditam em nada, nem em suas próprias existências.
Os ciumentos que não acreditam nem neles mesmos, por isso estão sempre desconfiando.
Os pacatos e tímidos que preferem que outros não os vejam.
Os que se acham, estão sempre na contra mão para que outros o vejam de frente.
Os acomodados que cruzam os braços mesmo que tenha uma infinidade de coisas para fazer.
Os incomodados que reclamam até de seus próprios roncos.
Os indefesos que estão nas mãos de outros.
Enfim, existem diversidades de pessoas no mundo, cada um leva sua marca, sua defesa, sua maneira de sentir e ver o mundo.
Em qual delas você se identifica?
Todos diferentes, mas com um propósito comum, lutar pela vida e sobrevivência!


Autora: Herta Fischer                                                   direitos  reservados

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Ciúmes

O ser humano tem o ego muito desenvolvido, por isso, quer sempre  ser o centro das atenções. Não suporta ser contrariado, tudo o que supostamente contraria sua maneira de ser deixa-o irado e confuso!
Em um relacionamento, a liberdade é essencial, um amor não pode sobreviver na escravidão. mesmo por que a maneira de ser de cada um é diferente, ninguém pensa com a cabeça do outro.
Já dizia o Raul Seixas: O amor só sobrevive em liberdade, o ciúme é só vaidades!
É vaidade pensar que o outro está sempre querendo sacanear, quando na verdade o outro só está querendo viver.
Ninguém tem obrigação de amar ninguém, o amor é livre e como tal só sobrevive quando estão em sintonia.
Quantos relacionamentos são interrompidos precocemente por que o outro não suporta a ideia de simplesmente a outra parte ter amigos, ou conversar com outras pessoas do sexo oposto.
Que bobagem, de tanto medo de perder, acaba perdendo, de tanto medo de ser infeliz, promove a sua própria infelicidade e consequentemente causa a infelicidade da outra pessoa.
Onde está escrito que casamento, ou namoro interrompe a vida. A vida segue seu curso naturalmente, e os relacionamentos de amizades tende a continuar, não é por ser casado(a) que a pessoa precisa deixar seu círculos de amizades morrer, o que muda é a forma de se relacionar,  no que diz respeito ao não ser mais só, tudo será feito a dois, mais também nada impede que a outra pessoa possa de vez em quando sair sozinha.
Isso é até saudável num relacionamento desde que a outra parte concorde, pois se ficarmos alheios a tudo viramos vegetais.
Nascemos sozinhos e sozinhos vamos morrer, tudo o que se faz debaixo do céu é pura vaidade, mas vaidade de vaidade é querer ter do seu lado uma estátua ambulante, sem vida e sem alegrias!
Se amamos, queremos ver a outra parte feliz, do contrário seria amor por si mesmo, sem a intensão do bem estar de ambos, porque se um está infeliz o outro automaticamente fica infeliz também.
O casamento e o namoro deveriam ser assim, dois trilhos caminhando lado a lado formando juntos uma longa estrada. E vivendo da certeza de nunca se distanciar!
Eu posso garantir que se deixarmos nosso ego de lado, os relacionamentos seriam mais saudáveis e não haveriam tantos namoros e lares destruídos por falta de entendimento.
A sinceridade de ambas as partes também seriam necessárias, pois a falta de confiança é  outra célula cancericida num relacionamento a dois. Como diz o velho ditado, "quando um não quer dois não brigam", quando dois não querem, não se separam.
É sempre bom conversarem, o diálogo é um item muito importante no relacionamento, e é bom deixarem muito bem claro entre os dois que se acaso  um não estiver satisfeito ao lado do outro, o outro ficara a par, pois a conduta leviana de um pode por em risco a saúde psicológica do outro, e vice e versa!
A separação só será necessária quando um deixar de corresponder a expectativa do outro e partir para a traição, mas ai vai um conselho não para a parte traída, mas para a que trai, você estará traindo a si mesmo, por que quando se casaram tornaram-se um só corpo, e deverão cuidar um do outro assim como cuidam de seus próprios corpos, e sejam sempre fiéis ao propósito que os uniu e sejam sempre felizes!

Autora : Herta Fischer                                     Direitos reservados













quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Do passado tiramos lições, e do futuro fazemos canções!
Centenas de vezes eu falhei.... centenas de vezes eu tentei novamente , nunca desisti, um dia eu acerto!

pensamento

Eu já fui tão calejada pela vida. O calos ficaram tão endurecidos que as pedras já não machucam mais!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Viciada em alegria

Eu sempre fui uma garotinha esperta e curiosa, andava pelos campos do sitio em que nasci, era muito pobre, porém isso nunca me afetou.
O que eu queria estava ao meu alcance, mesmo sem ter dinheiro, pois amizades e amor não se acham pra comprar, nem se trocam por dinheiro.
E isso eu tinha de monte, nos olhos do meu cavalo, no carinho do meu cachorro, no calor do seio da minha família, no meu fogão a lenha, quando as brasas estalavam como se sorrissem pra mim.
Era tão feliz em minha pequena morada, mesmo dormindo  quatro pessoas numa mesma cama, sem televisão, sem geladeira, sem luz elétrica, sem água encanada.
Meu céu tinha uma luz especial, meu sol era de uma doçura sem igual, o vento era todo especial e as estrelas... ah! as estrelas... bonitas como aquelas, só mesmo no paraíso!
Todo dia era novidade, toda tarde convidativa, toda noite uma mensagem.
Era correr pelos campos sem medo de nada, pisar nas folhas da mata só pra ouvir o seu cantar, embalar em sonhos no ouvir o som do próprio sorriso enquanto abraçava uma árvore, que tão meigamente deixava-se abraçar.
Tomava banho no rio , enquanto as cigarras cantavam pressentindo aquele prazer que meu corpo sentia no toque gelado das águas, como uma suave caricia, a felicidade sentada do lado, me fazendo companhia.
Depois dizem que pra ser feliz é preciso ter dinheiro...O maior prazer da vida a natureza lhe dá de graça! Subia nas copas das árvores como se fosse um macaquinho, em um galho qualquer, sentava bem devagarinho e assoviava uma musiquinha aprendida com os passarinhos, era tão doce e tão sincera que eles acompanhavam a melodia de longe, cada um sentados em seu próprio galho.
Se as pessoas conhecessem e soubessem admirar uma linda  paisagem, conheceriam o verdadeiro significado de luxo. Por que minha terra tinha uma vestimenta luxuosa, mais linda que todos os vestidos do mundo.
A felicidade morava ao lado, era só balançar  os dedinhos para ela vir correndo, enchendo meu mundo de graça.
Todos os dias eram risonhos, todas as horas companheiras, todas as tardes mágicas e todas as noites brilhantes.
Não precisávamos de muito para viver, por que o pouco já era suficiente, e o que tínhamos era muito pra se viver, os sonhos começavam e se concretizavam ali.
Até que um dia toda essa magia se dissipou como fumaça, por que o tempo passou e meus olhos de menina já não vê mais como via antes, não sente mais como coração de criança, não sabe mais como é o gosto dessa felicidade tão simples.
Vivo agora na cidade, e os vestidos coloridos deram lugar ao pano cinzento, o sorriso fácil já não tem mais melodia, e os animais já não me reconhecem mais, as estrelas perderam seu brilho diante da luz artificial, tudo o que restou é essa  imensa saudade do tempo de infância que não volta nunca mais. E daquela menina que eu deixei para trás!

Autora: Herta Fischer      direitos reservados

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Achados e perdidos

Uma infância solitária, uma família sem direção, numa casa sem amor.
Vivida na despedida da alegria e do bem querer...pouco recebi e pouco dei.
Se tentaram dar um pouco eu rasguei, se tentei ser diferente eu não sei, porém fiquei sem opção, o aprendizado não me alcançou.
O vinho virou água, a lata enferrujou, eu pedi, o mundo me negou.
Esperei que me enxergassem, fiz de tudo pra ser o melhor, mas só surras eu levei e a paz não foi razão, neste mundo que criei!
Entrei no submundo ainda em tenra idade, e só sujeira eu encontrei, pensei que assim seria ouvido ou pelo menos a minha figura ficasse evidente, um pouco de brilho não faz mal a ninguém.
No entanto, fiquei iludido com a vida de rei que não tinha com meus pais, cada um na sua foi sempre assim, agora pelo menos eu poderia conversar sobre alguma coisa, não estava excluído, eu me tornara alguém. Ou pelo menos eu pensava assim, mas acho que me enganei.
Comi do pão que o diabo amassou quando nesse sistema eu entrei, as drogas se tornaram um vicio e eu mais sozinho me encontrei. A sarjeta era minha amiga e o lixo minha comida, minha cama  o desdém!
Quando não havia mais jeito, já no fundo do buraco minha família fui buscar, mas novamente só desprezo deles eu ganhei.
Até que certo dia, andando na praça com medo da policia, um homem me encontrou, me peguntou sobre minha família e a verdade eu contei.
Ele então me levou pra sua casa e um banho eu tomei, comi as coisas gostosas que ele então me ofereceu, e me ofereceu sua amizade , de prontidão eu aceitei. 
Com muita paciência ele então me convenceu de que viver nas ruas eu poderia morrer, aceitei a sua ajuda e me tornei  um rei de verdade.
Larguei das drogas e comecei a estudar, com aquela família nova eu encontrei um lar e nunca mais precisei roubar pra se alimentar. Hoje já tenho minha família e um lar honrado eu já formei, para ter algum conforto, muito, muito eu trabalhei, e aquele pai de verdade eu tenho muito que agradecer, que me acolheu no momento em que mais precisei. Eu estava perdido e fui achado por alguém que não procurava por mim e me deu mais do que qualquer um poderia me dar...naquele dia eu aprendi o que é amar!

Autora: Herta Fischer

A corda se rompendo

Quem poderá me dizer o que será amanhã, tudo é uma ilusão, uma incógnita, uma letra de música ainda não terminada, um rascunho que ainda não foi publicado.
Sobre um sol primaveril, onde as flores ainda estão pra se formar, se não se formam caem no esquecimento, e muitas vezes se formam em campos tão longínquos sem ter ninguém para apreciar sua beleza.
Assim é o amanhã, um dia pra ser descoberto, um dia tão incerto quanto a quantidade de dias em que vou viver.
Sento em frente de mim mesma com as mãos na cabeça, um peso enorme dentro de uma tristeza inóspita, coração desvairado, sangrando dentro de um saco, machucado, entristecido, moído, sem noção do que será?
E o que será, serei caçado, abençoado, poderei ter certeza de ver o sol nascer, ou o meu som se calará, e minha boca se fechará para sempre?
Do hoje, até agora é o que conheço, no barulho do trovão que anuncia uma chuva torrencial, da calmaria de uma dor que principia dentro dessa dúvida que me abala.
Haverá por acaso um amanhã?
Meu corpo em tremedeira diz que não, quando olho o que vejo em derredor e penso que em breve não mais verei nada, a não ser a nuvem que insiste em descer e escurecer esses olhos que a terra há de comer.
Um suspiro sai da alma e uma doce calma entra em ação, um segundo se passa, ouço vozes que parecem vir de longe, ou de muito perto eu não sei, será hoje o meu fim?
As pessoas continuarão sem mim, cairei no esquecimento, antes mesmo que o sol se ponha outra vez dentro dessa ilusão que a vida tem?
Sinto que as forças me abandonam, e o sono dos justos vem me socorrer, fecho os olhos, mas a mente não quer obedecer, não desliga, nem mesmo no esforço derradeiro de quem pede por descanso. Desalentado, machucado, tanto fiz e tanto tenho que deixar...se realmente não houver um amanhã pra me abraçar!
 

Autora: Herta Fischer

domingo, 8 de janeiro de 2012

Reciclar

Hoje eu gostaria de afirmar que houve uma mudança de comportamento muito significativa na humanidade, uma mudança negativa. As pessoas gostam que outros mastiguem para que elas possam engolir.
Poucos criam e a maioria copiam, embarcando na criatividade dos outros.
Eu não posso imaginar que se possa sentir prazer em pisar nas pegadas do outro para encontrar seu próprio caminho..a única coisa que vamos conseguir é todos chegarem num mesmo lugar.
Antigamente as pessoas também copiavam a maneira de outros povos, os costumes, os deuses e até mesmo o jeito de se vestir, mas sempre havia gente disposta a mudar.
Cabeças pensantes criavam, pesquisavam, faziam acontecer.
Hoje...não sei se por preguiça ou por conveniência, as pessoas apenas reciclam o que já foi feito ou dito por um  outro alguém.
Depois se queixam de tédio!
Tédio é não saber que caminho seguir, é não saber o que fazer com a própria vida.
Tem tantas maneiras de se livrar do tédio, uma delas é a leitura. A leitura abre um leque de possibilidades. Ao ler um bom livro você pode conhecer o pensamento de tantas pessoas, pode aprender tantas coisas, viajar por tantos lugares... e tudo isso ao mesmo tempo.
Quando você está estudando é para seu próprio conhecimento e não de outros.
Se está fazendo uma faculdade, não é só para conseguir notas, mas  para ser um bom profissional...Só o canudo não quer dizer nada, é o modo com que vai levar isso para a vida que conta!
Enquanto está criando, estará crescendo, se está apenas copiando continua estagnado.
A vida é movimento e não inércia, a energia existe para ser usada, do contrario nem precisaria existir.
Por causa disso vemos tantos jovens doentes, sem expectativas nenhuma, só pensando em consumir, em drogar-se, caminhando por caminhos de violência!
Também, aos dezoito anos de idade ainda acham que não tem capacidade para enfrentar o trabalho, negam  a eles o direito de aprender, uma máquina parada é um alvo fácil para a ferrugem. E a ferrugem da intolerância  vai consumindo aos poucos essa boa vontade que deveria existir nessa idade.
Autoridades, abram seus olhos diante dessa negligência que está afetando todo nosso universo, não fiquem copiando regras que outros países usam para criar monstros terríveis!
Cuidem de nossas crianças, não apenas para mostrar os números, mas por que se preocupam com eles de verdade. Deixem a criatividade entrar novamente no nosso mundo, pois a escola é sinônimo de país desenvolvido e de futuro garantido, e o trabalho não machuca, muito pelo contrário, tem o poder de fazer dos jovens magníficos cidadãos!
Que consequentemente farão dessa terra um lugar muito melhor para se viver!

Autora: Herta Fischer            direitos reservados

.

Total de visualizações de página