segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Espaço apertado

Quem disse que numa cidade grande os homens estão mais próximos.
Numa cidade, seja ela pequena ou grande não existem proximidades, e sim, competições apenas.
Nem entre os pássaros existem alguma alegria, o seu canto é trite, cantam por tédio.
Sem plantas não há sementinhas, sem sementinhas não há o que comer, então dependem dos restos da comida dos homens.
E os homens , por sua vez, descartam as sobras, mas com as sobras que os pássaros comem, vem muito lixo, e esse lixo vai parar na boca de  lobo, e os lobos saturados vomitam, e esses vômitos trazem com eles vários tipos de doenças que escorrem pelas ruas contaminando os homens, seus pássaros e todos os seus animais.
E as pessoas andam com medo,  medo do transito, medo dos preços, medo dos animais, dos racionais e dos irracionais, medo de tudo. E então se fecham, cada um dentro das suas casas e muitas vezes, dentro de si mesmas, e já não há muitas vozes a não ser de lamentos e tristezas.
Toda essa luxuria das grandes e pequenas cidades só trazem mais misérias, mais desgostos, mais dividas, mais mosquitos, menos sono, e por sua vez, mais doenças.
Grandes torres imponentes, mandando as mensagens inúteis dos homens que não sabem nem o que fazer com a própria vida, mas com um aparelho na mão sentem-se mais importantes, mesmo que seja só para o transportar, ou  apenas por se fazer ouvir: -Olha eu estou aqui?
Não existe beleza, não tem mais espaços para grandes árvores, nem para pequenas, nem pra homens, o mundo está superlotado, e esta superlotação deixa os homens meios doidos, na correria das ruas, na correria pelo dinheiro, na correria do mundo.
Então nas rodovias se constroem os pedágios, pois onde há gente, escorre dinheiro e não tem lugar melhor para os coletar, onde ha muita passagem de gente, e o povo sem mais dinheiro ficam sem opções.
Então procuram os shoppings , que também superlotam, pois, as lojas e os departamentos colocam muitos atrativos, enlaçando os já enlaçados, e o que era para ser um dia de descanso e de lazer, transformam-se em mais dividas, e consequentemente mais motivos para se correr.
Então se multiplicam as doenças, e o povo precisa de hospitais, mas os hospitais já em decadência já não suporta a demanda, e os corredores são as provas de que o mundo e suas doidices já não estão mais se suportando, pois o dinheiro vai e o povo fica a mercê de sua própria sorte.
Os homens de bem encurralados e os homens maus em desvarios se socorrem entre si.
E o que tem vive mais, e o que não tem espera em Deus, e o socorro que espera, tarda tanto que a única forma de existir é a esperança, a única amiga nas horas das angustias.
E o circo pega fogo,  e a fumaça só sufoca, e o refrigério não vem, e os homens morrem em sua s ilusões....

Autora: Herta Fischer                     direitos autorais reservados.











sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Amo poesias

Eu amo poesias!..
No manso regato de meus sonhos, a vida se inicia,
sobre as mãos poderosas do criador, minha alma descansa.
Sou uma sombra em redor de todas as sombras, que
se complementam.
Quantos nem se olham..
nem se percebem, pela força do mal do mundo.
Mas, no bem que a todos consola há uma breve esperança,
nos olhos do amor que tudo se renova
de tempos em tempos novos amigos vão chegando....
Autora: Herta Fischer direitos reservados

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

cansaço

Estou cansada de falar com as paredes, para fazê-las sorrir,
ou do sorriso do mocinho da televisão, que arranca meu sorriso como se falasse comigo.
Um está com dores de cabeça, se tranca no quarto, outro está apressado demais para ouvir.
Esse silencio me mata.
Se não fosse a música para me alegrar um pouco, nem sei o que seria de mim,
mas até a música, as vezes parece estar contra.
Tudo bem, eu sei que a modernidade afastou as pessoas, não são só as violências do mundo que nos afasta,  e sim, a desvalorização da pessoa em si.
cada um vive a sua maneira, cada um por si.
Eu espero ansiosamente pelo encontro que nunca acontece.
Vivemos mais, mas, vivemos enclausurados.
O tempo se arrasta á nossa frente e pouco aproveitamos, pois estamos sempre com pressa.
de chegar não sei aonde.
Podemos marcar um encontro, talvez na eternidade! Mas, a eternidade está tão longe, que tenho medo de morrer de tristeza antes que chegue este dia!
Herta Fischer


segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Meu samba

Perfeito é o meu dia,
com a colher e garfo, faço folia..
E dançando na cozinha,
faço música, letra minha.
O som da máquina de lavar,
é que faz a melodia,
dispensando a agonia,
de ouvir a mesma música,
com a mesma sinfonia.
Todo dia, todo dia,
è vassoura, é sabão, é valentia
Autora: Herta Fischer                            direitos reservados

Anéis

A vida é apenas um ciclo redondo... ela começa,
se enrola e termina exatamente onde começou..
As pessoas que participam dessa jornada são os nossos presentes,
as vezes gostamos, as vezes trocamos, as vezes detestamos, mas,
fazem parte de uma história cheia de vida... que a natureza faz questão de exibir.
Autora: Herta Fischer                   direitos reservados

Todo dia é dia!
Toda hora é hora!
Faça do seu jeitinho..
Construa o seu alicerce.
Não espere do dia aquilo que depende somente de você!
A lagarta se alimenta e quando chega a sua hora constrói o seu casulo,
tudo ao seu tempo..
e se prepara humildemente para explodir de vida em suas maravilhosas cores!

Autora: Herta Fischer

domingo, 17 de fevereiro de 2013

"Somos escravos de nós mesmos"

Nunca sei se devo....
Falo, mas tenho dúvidas,
faço. mas tenho dúvidas.
Nunca posso ser eu mesma.
Sou escrava sem Senhor,
a chibata é minha dor..
Mesmo havendo uma lei
que nos promete liberdade
somos escravos do querer
de uma sociedade.
Tenho vontade de falar
mas, tem coisas que não posso.
tenho vontade de viver
mas, só se seguir as normas.
há quem diga que é normal
policiar-se o tempo todo,
mas, viver é bem melhor,
do que se prender,
no laço que fazemos,
de nós mesmos....

Autora: Herta Fischer                         direitos autorais reservados



.

Viver bem também se aprende...

Vivi meus momentos sem muitas certezas... apenas vivi...
Cantei meu canto, aprendi a ser forte, me esbarrei nas leis e sobrevivi.
Meus erros são tantos, tantas mágoas e choros, mas depois aprendi.
Que no enlace da vida, o gosto na boca não sou eu quem escolhe.
as vezes são doces, muitas vezes amargos, são sementes que se colhe.
Da vida nada se aproveita a não ser seus momentos de alegrias,
quando o sorriso sai fácil, quando se tem alguém do lado,
pra tornar nossa vida mais leve, e menos vazia.
Não existe aprendizado sem erro, nem só números exatos,
O que se tem de fato, são momentos fracionados,
entre a razão e a magia.

Autora: Herta Fischer                   direitos reservados


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Peço desculpas

Meus caros leitores...

Eu, humildemente peço desculpas por alguns erros que grosseiramente cometo as vezes... tanto na gramática, quanto nas conjugações verbais...
Mas, como escrevo pensamentos... eu nunca faço rascunho... vou despejando tudo que me vem á cabeça...
Portanto, peço-vos que não se importem, pois assim que tiver um pouco mais de tempo, eu vou fazendo uma revisão, mas,  ainda assim,  não quer dizer que ficará tudo perfeito. Porém,  não deixarei de postar minhas  memórias e meus pensamentos.., mesmo com tantos erros..
Gratos pela compreensão!
Herta Fischer

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Um antes e um depois

Não ha nada que me prenda, nem que me solte,
pois a vida não depende disto,
vivemos amarrados mesmo estando soltos.
Como o sol que todo dia nasce no mesmo lugar, e
incansável realiza o seu trabalho, assim somos nós,
na sobrevivência exigida.
O que se come ou o que se bebe de nada aproveita,
no instante seguinte cai no esquecimento.
Então porque a luta?
É um limpa e suja, é um suja e limpa,
um faz e desfaz danado.
Ouço, vejo e sinto, mas, nada de concreto ,
desaparece, aparece, tateando no escuro.
Que sinal é esse o qual nós esperamos,
quando a alegria é só por um momento.
Num momento a alegria, logo atras vem a tristeza,
num segundo uma luz de emoção que depressa demais se apaga.
Eu queria andar descalça, com a lua a me olhar,
para esquecer que a vida é essa ilusão
da procura e do esquecimento...

Autora: Herta Fischer                                              direitos reservados

Tudo... e nada

Esperei por dias melhores... esperei por condições melhores... nada !
Então me calei, não na voz, mas, na espera...
Continuei na busca... agora, no vazio, sem o azul do céu.
Nesta escalada difícil eu me maltratei, mas, muitas vezes também me socorri.
E despedacei meus sentimentos, no vazio de alguém, na procura da certeza, na
na busca incessante do nada, minha alma esvaziei.
Entendi que não é na luta, que se ganham as batalhas, mas na força de quem maneja bem as armas.
Eu não tenho armas, só este amor imenso que me serve como escudo, no qual eu me enlevo a procura do bem viver.......
Autora: Herta Fischer                                         direitos reservados

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Tanto vivi que cresci....

O que eu posso dizer de mim mesma? Senão daquilo que vivi....
De resto eu nada sei... a não ser de mim mesma...
Minha dor foi minha... minhas alegrias também...
Meu passado ficou entrevado no tempo que passou... meu presente eu vivo...
Mas  e o futuro? Ah! esse eu também desconheço!
Autora:  Herta Fischer                  direitos reservados

Total de visualizações de página