segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Escuridão permanente

Quando a gente anda pela vida, procurando pelos encontros inusitados que geralmente compõe nossa etapas de sonhos e realizações.
Quase sempre esperando que as pessoas possam suprir nossas expectativas, usando de bom senso para somar e firmar nossas raízes na terra da sabedoria.
Esperamos que tudo se concretize conforme nossos desejos, que castelos e príncipes se façam concretos nessa magia de sentimentos que conservamos desde crianças.
Ao percebermos que fazemos parte de um mundo onde todos somos feitos das mesmas sementes, e que a massa não pode diferir uma das outras, que o que é humano dificilmente se torna espírito, e vice e versa, a decepção é quase que eminente.
Esperamos ver no outro uma perfeição que não pode existir, pois como esperar perfeição se somos todos defeituosos.
Se é o ego em evidencia que descarrila os vagões da incerteza que cerca todos os mortais. Se é por medo que deixamos de realizar os mais objetivos aprendizados, se é na mentira que os homens conseguem seguir em frente. se é furtando filosofias que conseguimos entender alguma coisa, por que com certeza nem sabemos de onde viemos e para onde vamos.
Se na ignorância que homens são considerados descartados, e que a maioria se descaminha nos altos sons de que são cantados os considerados bem nascidos,
Porque colhem o que não plantaram, e comem daquilo que nunca foi pão, e que se contaminam nos suores de quem sempre trabalhou.
Nas grandes riquezas se estabelecem  em função do que é menor, pois roubam o direito do  trabalhador de comer o que plantou e sugam do pequeno o direito de viver na paz.
Em carreatas de soberba se enleva os corpos em decadência dos homens que sugerem a si mesmos os direitos, e que sutilmente usam da astúcia para construir os seus castelos, desencadeando a fome por justiça.
Esquecem-se que um dia a terra come, que os castelos desmoronam-se, e que as vestes servirão de comidas para as traças.
Pois mais vale o pobre em sua ignominia, do que os que se acham em evidência sem ter um coração.
Porque as trevas te alcançam e de suas dores não poderão fugir. No dia de tua necessidade, não terás amparo, pois depositaram confiança naquilo que não poderás lhes defender.
O homem nada é se não tiver esperança, se não amar o que tem, que não somar com os outros, se não se orientar na verdade, se não deixar de ser vaidade, se não deixar de se alimentar de ilusões.
Tudo nesta vida é transitório, tudo se desfaz em uma cova qualquer, mesmo deixando uma plantação imensa, são outros os que terão que colher.
É melhor plantar o que se come, do que semear em vão, é melhor não ter deixado nada, do que levar corrupção.
Enquanto houver roubos e matança, nunca haverá sossego.
Enquanto houver injustiça social, não pode haver povo feliz!
Autora: Herta Fischer!                   Direitos reservados






Total de visualizações de página