sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Apagando-me

A noite chega,
é como um sonho em mim,
na nostalgia da penumbra
do descansar, enfim.
As vozes cessam sem
me incomodar,
as luzes se apagam
e sensações me
afagam.
Vou voando sem asas
por rodomoínhos
de prazer
me entregando ao sabor
de me conhecer,
Entre as cobertas
o sono me leva além
do pensamento aquém.
Como andorinha a voar
no além
sobre o vento forte
me sobrevém
a doce  viagem
de querer tão bem.
Tão logo durmo
sobre a pluma do sonhar
e a descoberta entre
a coberta do sonar
como baleia em
sobre o mar,
aplaneando
sobre a água
do amar
até que as ultimas
lembranças sumam
no despertar
que nem de sonhos se lembram
mais;

Herta Fischer