domingo, 17 de janeiro de 2016

Até que a brisa seque

Até que a brisa seque....
A vida que se esvai
como brisa seca ao sair o sol.
pouco dá, muito tira, o sabor na boca
é só por alguns instantes
quando ainda ha o que saborear.
Vou secando como rosa já
desfeita, inerte e já sem perfume,
Deita em terra sua inocência, descobrindo
que viveu em vão.
Ao cabo da esperança deposita em sua
corola um pouco de seu coração, que
já consumido a sua doce essência
que não cansa de renascer.
Vou sumindo aos poucos como
quem já existiu e não
tem mais o que se dar,
pois na poção seca se desfez
por querer ficar e não merecer...
Herta Fischer (Hertinha)