sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Coisa de tolos

Eu quero o amor que
eu nunca senti, o sorriso
que esqueci em casa
Eu quero as mãos que nunca
estendi, e perna
transformando-se em asa.
Eu quero a caminhada
que não fiz, os prêmios
que não mereci.
Que ouça a oração que não fiz,
das bençãos que já recebi.
Estou sempre querendo,
nunca fazendo por merecer,
e ainda te condeno
por um dia ter que morrer.
Eu quero viver mais do
que todos, eu não me importo
com os outros,
Se tenho fico satisfeito,
sou orgulho
e sou tolo.
Herta Fischer (Hertinha)